Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Pelo menos sete mortos em ataque de gangue a hospital na Guatemala

Logótipo de O Jogo O Jogo 16/08/2017 Administrator

Pelo menos sete pessoas morreram hoje quando homens armados irromperam por um dos maiores hospitais da Guatemala e abriram fogo, num ataque planeado para libertar um membro de um gangue encarcerado, indicaram as autoridades.

Carlos Soto, diretor do Hospital Roosevelt, situado na capital guatemalteca, disse que um número indeterminado de atacantes entrou nas instalações durante a manhã e começou a disparar.

Cinco pessoas foram detidas, mas o membro do gangue encarcerado, que tinha sido levado ao hospital para fazer análises clínicas, encontra-se a monte.

O diretor-adjunto do hospital, Marco Antonio Barrientos, disse à imprensa que 12 pessoas ficaram feridas, entre as quais uma criança que foi submetida a cirurgia e se encontra em estado crítico.

A Polícia Civil Nacional precisou que os cinco homens que se encontram sob custódia são membros do gangue Mara Salvatrucha e, via rede social de mensagens curtas Twitter, mostrou fotografias de espingardas automáticas apreendidas aos atacantes.

Em comunicado, o Ministério do Interior guatemalteco declarou que os atacantes pretendiam libertar um membro do seu gangue identificado como Anderson Daniel Cabrera Cifuentes.

"Pensamos que ele é o líder de uma célula do gangue", disse o porta-voz da polícia, Jorge Aguilar.

Cabrera Cifuentes, de 29 anos e que não se encontra entre os membros do gangue sob custódia policial, tinha sido transportado para o hospital por três guardas prisionais sob ordem judicial.

Dois desses guardas foram mortos e o terceiro ficou ferido, de acordo com uma nota do sistema prisional.

Sem fornecer mais pormenores, Barrientos disse que não foi a primeira vez que se registou um incidente do género no Hospital Roosevelt, embora nenhum tenha sido tão mortífero.

Devido à recorrência de incidentes violentos, o hospital tinha pedido ao Governo mais segurança, indicou o diretor-adjunto.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon