Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Pepa faz a festa, mas não esquece: "Foi uma facada grande em tão pouco tempo"

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/05/2017 Hugo Monteiro
© Tony Dias/Global Imagens

Pepa, treinador do Tondela, fala sobre a permanência e recorda as passagens por Feirense e Moreirense.

O Tondela venceu o Braga por 2-0 e garantiu a permanência na I Liga. Mais uma vez, o clube salvou-se na ponta final da prova, dando origem a uma tremenda festa. "Foi [o jogo da sua vida] por tudo, é um clube com pouca história na I Liga, mas é um clube muito sério e com um grupo de trabalho fantástico. Nos últimos seis jogos fomos a melhor equipa do campeonato. O milagre foi acreditar muito, deram-nos como mortos, mas o futebol é fértil em surpresas e nós fizemos pela vida. A partir de certa altura do campeonato tivemos uma conversa frontal e assumimos que em termos individuais grande parte das equipas eram superiores à nossa. Mas, nós quando entravámos em campo não olhávamos para o individual e só olhámos para o coletivo. Acredito que foi isso fez a diferença, em termos de raça e de entrega ninguém podia correr mais do que nós", começou por dizer o treinador Pepa.

"Se vou continuar não sei e heróis são os jogadores e o presidente. A única coisa que sinto é uma alegria imensa. Estive no Feirense nove meses, quase dez, não festejei a subida e é uma mágoa que vou levar para o resto da vida. Compreendo as decisões de quem as tomou e fiquei feliz com a subida do Feirense. Em Moreira estávamos acima da linha de água e a praticar bom futebol e também fui despedido. Dói muito, foi uma facada grande em tão pouco tempo ter passado por essas duas situações. Tinha prometido a mim mesmo que esta época ia ficar a descansar, mas era impossível dizer que não [ao presidente do Tondela] e aceitei o desafio. Estávamos em último e agora também mereço festejar um bocadinho. Não há heróis, nem milagreiros, é o grupo de trabalho, os jogadores foram fantásticos. Depois as condições que o clube tem muito boas", continuou o técnico.

"O Tondela ficou na I liga, é a segunda vez que fica e que seja por muitos anos. Há que festejar muito, mas dentro de dois dias, na minha opinião, com ou sem Pepa, o meu conselho é que a direção comece já a arregaçar as mangas e a trabalhar na próxima época, para não acontecerem situações como a do ano passado e este ano. É um conselho que dou, dá muitos pontos fazer um bom planeamento. O clube merece e tem tudo para ficar na I Liga muitos anos. Felicito o Moreirense pela manutenção, felicito quem subiu à I liga e uma palavra de conforto ao Arouca e Nacional da Madeira. É muito duro e nesta vida às vezes só somos avaliados pelos resultados. Dedico este triunfo à família, tenho quatro filhas e nenhum menino para jogar futebol, mas elas gostam e sabem o que o pai sofre. Também ao presidente, que é um homem incrível e aos jogadores. E os adeptos, foi incrível, com Pepa ou sem Pepa, que metam mais adeptos no estádio, dão-nos muita força e isso ficou provado", terminou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon