Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Pepa: "Jogadores queixavam-se que a bola queimava"

Logótipo de O Jogo O Jogo 22/10/2017 Hugo Monteiro

Pepa, treinador do Tondela, comenta a vitória por 2-0 frente ao Belenenses.

© Tony Dias/Global Imagens

O Tondela venceu em casa o Belenenses por 2-0. "Sentimos dificuldades nos primeiros 10 ou 15 minutos, depois de praticamente uma semana sem treinar. Os próprios jogadores queixavam-se na quinta-feira que a bola queimava, o que era normal, e isso sentiu-se no jogo. A primeira oportunidade é do Belenenses, mas, depois, com naturalidade e com a nossa estratégia e bloco mais baixo, tivemos cinco ou seis oportunidades de golo. O jogo estava equilibrado, mas as oportunidades eram nossas", começou por dizer o treinador Pepa.

"Na segunda parte, com mais um homem, tivemos que ter calma, clarividência e em algum momento não a tivemos, mas continuámos com bola, fizemos mais cruzamentos e os golos acabaram por surgir com naturalidade. Foi uma vitória muito emotiva, por tudo o que passámos, porque não conseguimos treinar. Ficam três pontos, que queríamos oferecer a esta gente, a esta região. Não ganhávamos há algum tempo e, acima de tudo, mais do que os três pontos, foi a capacidade que tivemos de resiliência e gerir a dificuldade física que tivemos, principalmente na primeira parte. Foi difícil, mas os jogadores foram bravos e disputaram cada bola como se fosse a última", continuou.

"Falando no geral, sem falar em nenhum caso específico, está a haver muitos amarelos e vermelhos em Portugal e isso é uma questão que tem de ser repensada. Não é do jogo de hoje, é de vários jogos. No futebol, há contacto e duelos e temos de ser inteligentes e adaptarmo-nos a este contexto e realidade", terminou Pepa.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon