Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Pessoal Navegante de Cabine filia-se na maior central sindical de Cabo Verde para resolver problemas na TACV

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/08/2017 Administrator

O Sindicato do Pessoal Navegante de Cabine (SPNCAC) afiliou-se hoje na maior central sindical cabo-verdiano (UNTC-CS), para poder ter apoio e ultrapassar os problemas na transportadora aérea pública do país, que está a ser reestruturada pelo Governo.

O termo de adesão foi assinado, na cidade da Praia, entre a secretária-geral da União Nacional dos Trabalhadores Cabo-verdianos - Central Sindical (UNTC-CS), Joaquina Almeida, e o presidente do Sindicato do Pessoal Navegante de Cabine (SPNCAC), Rogério da Graças.

Salientando que a maior parte do pessoal navegante de cabine de Cabo Verde é trabalhador da TACV, Rogério da Graças lembrou que a companhia está a ser reestruturada, o que pode implicar o despedimento de algum pessoal e possivelmente de algum tripulante.

"Por isso, fizemos a proposta de filiação, para que possamos ter ajuda da central para ultrapassarmos esse problema mais facilmente e de forma mais organizada", afirmou.

"O nosso sindicato precisa neste momento de encontrar apoios de sindicatos que há muito tempo labutam na defesa dos trabalhadores e com experiência na área", prosseguiu, indicando que a organização que representa tem apenas três anos, enquanto a UNTC-CS tem quase 40 em defesa dos trabalhadores.

Por isso, pretende contar com a experiência da central sindical nas negociações com a administração da TACV, esperando um "efeito mínimo" nos trabalhadores da empresa pública de transportes aéreos cabo-verdianos.

A secretária-geral da União Nacional dos Trabalhadores Cabo-verdianos - Central Sindical (UNTC-CS), Joaquina Almeida, prometeu prestar "todo o apoio" ao pessoal navegante de cabine, para que os seus direitos e interesses sejam tratados, "com maior seriedade e boa vontade".

Indicando que a adesão do pessoal navegante de cabine é uma "mais-valia" e o culminar de um processo que decorre há muito tempo, Joaquina Almeida apelou a mais trabalhadores sindicalizados a pertencer à "família" da UNTC-CS.

"Porque somos uma instituição forte e credível que luta pela justiça, bem-estar, saúde e qualidade de vida dos trabalhadores", referiu a sindicalista, reconhecendo que a situação dos trabalhadores da TACV é "precária, complexa e delicada", mas mostra-se confiante que ninguém vai ser despedido.

Joaquina Almeida adiantou que, com a adesão, os trabalhadores vão passar também a ter acesso a consultas nos Serviços de Assistência Médica e Social (SAMS) do Sindicato dos Bancários Sul e Ilhas (SBSI), de Portugal, que assinou hoje um protocolo com a UNTC-CS nesse sentido.

A Transportadora Aérea de Cabo Verde (TACV) está a ser reestruturada pelo Governo, que concedeu os voos domésticos em exclusivo à Binter e passou a gestão do negócio internacional à Icelandair, grupo da Islândia.

O fim das operações domésticas levou os trabalhadores a realizar uma manifestação na cidade da Praia para exigir informação quanto a despedimentos, indemnizações e também como será feita a incorporação de boa parte na Binter.

O presidente do Conselho de Administração disse na altura que a reestruturação vai implicar o despedimento de cerca de 260 pessoas, o equivalente a cerca de metade dos trabalhadores.

Apesar de salientar a necessidade de reduzir os custos e de procurar uma solução para as dívidas da companhia, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, reafirmou que "todos os direitos" dos trabalhadores serão salvaguardados com a reestruturação da TACV.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon