Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Peter Sagan "bisa" no Tirreno-Adriático, Rui Costa em 17º na geral

Logótipo de O Jogo O Jogo 12/03/2017 Alcides Freire

Bicampeão mundial de ciclismo alcançou a segunda vitória na prova.

O bicampeão mundial de ciclismo Peter Sagan (Bora-hansgrohe) conquistou este domingo a segunda vitória nesta edição do Tirreno-Adriático, ao bater ao sprint os candidatos à geral no final da quinta etapa.

O eslovaco sobreviveu à curta inclinação final, que fez uma seleção no pelotão e o deixou reduzido, praticamente, à elite da geral, para se impor em Fermo, com o tempo de 05:00.05 horas, e juntar o triunfo deste domingo ao amealhado na terceira tirada.

Sagan bateu o francês Thibaut Pinot (FDJ) e o esloveno Primoz Roglic (LottoNL-Jumbo), com nomes como Geraint Thomas (Sky), Bauke Mollema (Trek-Segafredo), Rigoberto Urán (Cannondale-Drapac), Tom Dumoulin (Sunweb) e o camisola azul Nairo Quintana a seguirem-se-lhes na classificação da etapa, com o mesmo tempo.

© EPA/Dario Belingheri

Rui Costa (UAE Team Emirates) perdeu 50 segundos para os principais favoritos à geral, que é liderada pelo colombiano da Movistar. Quintana tem 50 segundos de vantagem sobre o novo segundo classificado, Thibaut Pinot, com o australiano Rohan Dennis na terceira posição, a 01.06 minutos.

Apesar de ter cedido terreno para o camisola azul, o ciclista poveiro subiu ao 17º lugar da geral, estando a 03.09 minutos de Quintana.

Já Nelson Oliveira, o outro português em prova, perdeu 11.07 minutos na jornada de hoje e vai partir para a sexta etapa, uma ligação de 168 quilómetros entre Ascoli Piceno e Civitanova Marche, na 70ª posição, a 34.03 do seu líder.

Mas o grande acontecimento da jornada da prova italiana aconteceu muito antes do final, quando o britânico Adam Yates, segundo à partida para os 209 quilómetros entre Rieti e Fermo, decidiu abandonar.

Um dia depois de garantir que se sentia em forma para tentar a sua sorte no Tirreno-Adrático, o líder da Orica-Scott desistiu da corrida, sem que fosse avançada qualquer explicação, ao contrário do que aconteceu com Fabio Aru.

O italiano da Astana, vencedor da Vuelta'2015, abandonou ainda antes da partida devido a uma bronco-traqueíte.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon