Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Plano de recuperação da Oi avança para análise de alterações com credores e interessados

Logótipo de O Jogo O Jogo 20/07/2017 Administrator

O conselho de administração da operadora de telecomunicações Oi autorizou a análise de alterações ao Plano de Recuperação Judicial com credores, potenciais investidores e outros interessados, para possibilitar aumento de capital de 2,2 mil milhões de euros.

Em comunicado hoje divulgado na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), em Portugal, datado do Rio de Janeiro e de quinta-feira, a Pharol (antiga PT SGPS), que detém cerca de 27% da Oi, informa que o conselho de administração da operadora brasileira "apreciou a proposta de capitalização da companhia apresentada pelo grupo de trabalho constituído em 2016 para fins do processo de recuperação judicial" de que é objeto.

"Visando o fortalecimento do balanço da Oi e a aprovação do Plano de Recuperação Judicial, o conselho autorizou a diretoria a discutir com credores, potenciais investidores e demais 'stakeholders' possíveis alterações ao Plano de Recuperação Judicial, de modo que este passe a prever aumentos de capital da companhia totalizando oito biliões de reais" (cerca de 2,2 mil de euros).

Estes aumentos de capital "ainda serão objeto de detalhamento e sujeitos à aprovação dos órgãos sociais competentes", acrescenta o comunicado.

O objetivo desta decisão, explica, é que os recursos captados sejam destinados "à ampliação dos investimentos da Oi", principalmente em novos projetos de banda larga e cobertura de rede móvel, para "iniciar um novo ciclo de investimento e expansão, ligado ao Plano de Recuperação Judicial, "gerando perspectiva de retorno para acionistas e credores" da empresa.

Na mesma reunião do conselho de administração da Oi, realizada na quinta-feira, o representante da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) transmitiu que o seu Conselho Diretor definiu um prazo, até dia 01 de agosto, para que os órgãos de direção superior do Grupo Oi apresentem ao órgão regulador do setor de telecomunicações do Brasil a versão do Plano de Recuperação Judicial que aprovaram para submeter à Assembleia Geral de Credores.

"A Oi reitera que continuará a interagir com credores, potenciais investidores e outros 'stakeholders' da companhia com relação ao seu Plano de Recuperação Judicial, com o objetivo de obter melhorias ao Plano e viabilizar sua aprovação em Assembleia Geral de Credores", marcada para setembro, "garantindo a sustentabilidade" dos seus negócios, segundo o comunicado.

A Oi, a maior operadora de telefone fixo do Brasil e a quarta em rede móvel, entrou com um pedido de recuperação judicial em junho do ano passado porque não conseguiu negociar um total de 65,4 mil milhões de reais (19,6 mil milhões de euros) em dívidas.

A 26 de janeiro, a operadora brasileira iniciou um programa para tentar chegar a um acordo com as empresas constantes da lista de credores.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon