Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Polícia promete fiscalização e mão pesada nas novas vias para autocarros em Luanda

Logótipo de O Jogo O Jogo 01/08/2017 Administrator

A polícia angolana vai aplicar multas a automobilistas e remover viaturas detetadas a utilizarem as novas vias exclusivas para os transportes públicos que serão criadas em Luanda.

A posição foi manifestada hoje pelo comandante-geral da Polícia Nacional de Angola, Ambrósio de Lemos, quando comentava o papel da polícia na implementação das vias exclusivas para autocarros, taxistas e motociclistas, que vão ser ensaiadas numa das principais avenidas de Luanda.

Segundo o comandante-geral da Polícia Nacional, aquela força policial está preparada para a tarefa, baseada nos regulamentos do Código de Estrada, apesar de constituir uma novidade em Angola.

"A Polícia Nacional está preparada para ir disciplinando, porque vão sempre surgindo aqueles oportunistas que se metem na via dos serviços públicos e aí temos a polícia para serem interpelados, e daí serem sancionados de acordo com o Código de Estrada", disse.

Em declarações emitidas pela rádio pública angolana, Ambrósio de Lemos prometeu mão pesada para todo o automobilista que for apanhado a circular nestas novas vias.

O Governo da Província de Luanda começa a ensaiar esta semana, na Avenida 21 de Janeiro, a execução da faixa exclusiva para transportes públicos, devendo as restantes previstas para a Rua da Samba, a avenida Pedro de Castro Van-Dúnem "Loy" e a via de Cacuaco serem entregues até o dia 21 deste mês.

Os corredores exclusivos têm uma dimensão de faixa de rodagem de 3,5 metros, a partir do lancil, marcadas com tinta específica para pavimentos rodoviários.

Segundo o representante do diretor provincial dos Transportes de Luanda, Tiago Ferreira, as faixas exclusivas estão a ser criadas para o aumento da velocidade dos autocarros, permitindo um maior número de viagens por dia.

O responsável sublinhou que, numa primeira fase, está previsto para a avenida 21 de Janeiro a circulação de mais de 20 autocarros, no somatório das cinco operadoras de transportes públicos.

A capital angolana, Luanda, necessita de mais de 1.800 autocarros para transporte urbano, tendo este mês sido entregues à empresa de Transportes Coletivos Urbanos de Luanda (TCUL) 240 novos autocarros.

Tiago Ferreira realçou que com a implementação da faixa própria para autocarros, é também importante o investimento de operadores privados, esperando-se que com a utilização desses corredores exclusivos os mesmos possam investir nos transportes públicos.

De acordo com o ministro dos Transportes de Angola, Augusto da Silva Tomás, a mobilidade em Luanda aponta para a existência de cerca de 450 mil veículos em circulação, a uma velocidade de 7,6 quilómetros, acarretando o tempo médio de viagem de três horas e 20 minutos, sendo o transporte público responsável apenas por 22% das deslocações quotidianas.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon