Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Populares de Vizela organizam "funeral simbólico" do rio em protesto pela poluição

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/07/2017 Administrator

Um grupo de populares de Vizela protesta sexta-feira contra a poluição do rio que atravessa a cidade, com um "funeral simbólico", uma vigília e uma marcha até uma das pontes, da qual será lançada uma coroa de flores.

David Bento, da organização, explicou hoje à Lusa que as pessoas serão chamadas a participar nos vários momentos, trajadas de negro e munidas de uma vela e uma flor.

Na praça principal da cidade, com as velas acesas e uma coroa de flores colocada num ponto específico, a partir das 21:00, haverá intervenções de alerta para o problema da poluição no rio, com críticas às autoridades, face a "uma situação que se arrasta há décadas".

O ativista referiu que a ideia partiu de um grupo de jovens locais, sem quaisquer conotações político-partidárias, frisou, e alargou-se a muitas pessoas, de várias idades.

"Esperamos a maior manifestação de sempre em Vizela em defesa do rio, até porque nunca se fez nada disto", vincou.

David Vento disse esperar a participação de muitas pessoas, num evento que está a ser divulgado nas redes sociais, com boa adesão.

"Que se lixem as palavras, queremos o nosso rio de volta. Vem connosco para a rua, traz uma peça preta vestida e uma flor e numa vigília que parte da Praça da República, mostra a tua indignação com a falta de rapidez na resolução deste problema, porque só a consciência de muitos pode alertar para esta situação, diz presente", pode ler-se na página de Facebook do movimento cívico autodenominado sosriovizela.

O movimento acrescenta: "O ministro do Ambiente veio a Vizela apresentar um Plano de Despoluição, os seus resultados são desastrosos, sem sucesso. As descargas acontecem, todos vemos e ninguém atua, ninguém faz cumprir a lei".

David Bento, de 29 anos, disse à Lusa esperar que estes gestos sirvam de alerta para a sociedade em geral e para as autoridades em particular face ao problema, sobretudo a urgência de se fazer algo concreto para acabar com a poluição.

Após a vigília na Praça da República, as pessoas evoluirão em direção à ponte D. Luís, junto ao parque, com as velas acesas numa mão e uma flor na outra. Na ponte, explicou, será lançada a coroa à água, para assinalar simbolicamente a vontade de ver renascer o rio. Quem quiser pode associar-se ao gesto, lançando uma flor ao rio.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon