Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Portugal cede painel de azulejos de Querubim Lapa a Tribunal Penal Internacional

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/07/2017 Administrator

Um painel de azulejos do artista português Querubim Lapa (1925-2016), intitulado "Ilusório", foi cedido por Portugal para as instalações do Tribunal Penal Internacional, em Haia, na Holanda, anunciou hoje o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE).

De acordo com um comunicado divulgado pelo MNE, a cerimónia para assinalar esta "cedência temporária" pelo Estado Português àquele Tribunal decorreu durante a manhã de hoje, em Haia, e contou com a embaixadora de Portugal na Holanda, Rosa Batoréu, a presidente do Tribunal Penal Internacional, Silvia Fernández de Gurmendi, o Secretário do Tribunal, Herman von Hebel, e com os funcionários portugueses que ali trabalham.

"Aquando da construção das instalações permanentes do Tribunal Penal Internacional, pretendeu-se que estas refletissem o caráter universal deste Tribunal e, nesse sentido, foi considerado importante que cada Estado Parte contribuísse de forma visível com obras de arte para estas instalações", recorda o MNE.

Acrescenta ainda que "Portugal, um forte apoiante do Tribunal Penal Internacional, escolheu o painel de azulejos de Querubim Lapa para cumprir esse papel", e foi buscar aquele que constituiu a última oferta do artista ao Museu Nacional do Azulejo, em Lisboa.

Querubim Lapa de Almeida foi um dos mais conceituados artistas contemporâneos de cerâmica em Portugal, com diversas obras expostas em ruas, avenidas, escolas e edifícios públicos da cidade de Lisboa, desde universidades a tribunais.

Além da cerâmica, deixou igualmente um vasto legado nas áreas da pintura, desenho, tapeçaria e escultura.

O Tribunal Penal Internacional, com sede permanente em Haia, na Holanda, foi criado em 1998, com a adoção do Estatuto de Roma, como uma instituição permanente, com jurisdição sobre as pessoas responsáveis pelos crimes de maior gravidade com alcance internacional, e complementar das jurisdições penais nacionais.

Portugal é parte no Estatuto de Roma desde 2002.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon