Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Portugal começa apuramento para Euro2015 frente a Áustria

Sportinveste 14/05/2014 Fonte: Sportinveste Multimédia
Portugal inicia na sexta-feira frente à Áustria, em Vila do Conde, o apuramento para o Europeu de 2 ...: Portugal começa apuramento para Euro2015 frente a Áustria © Sportinveste Multimédia Portugal começa apuramento para Euro2015 frente a Áustria

Portugal inicia na sexta-feira frente à Áustria, em Vila do Conde, o apuramento para o Europeu de 2015 de voleibol, com o objetivo de, segundo Hugo Silva, “ganhar jogo a jogo”, mesmo sem ser favorito.
No grupo de Portugal, que organiza o 1.º torneio da segunda fase de qualificação, a decorrer de sexta-feira a domingo, estão ainda seleções da Finlândia e da Moldávia. O 2.º torneio decorre de 23 a 25 de maio em Vantaa, na Finlândia.
O selecionador Hugo Silva, que tem desenvolvido a integração de jogadores jovens, seguindo uma política de renovação sustentada da seleção, considera o jogo de sexta-feira com a Áustria “o mais importante, pois é o primeiro adversário”.
“Vamos tentar ganhar todos os jogos, mas pensando sempre no presente, jogo a jogo”, assegura Hugo Silva, que surge na luta pela qualificação com um saldo de três vitórias nos três encontros particulares realizados com a Espanha.
Sem o distribuidor Nuno Pinheiro, devido a lesão, nem Flávio Cruz, que pediu dispensa alegando motivos pessoais e profissionais, e ainda com Tiago Violas a recuperar de um toque, Hugo Silva recorreu nos três jogos que efetuou com a Espanha a um misto de experiência e juventude.
João José, Hugo Gaspar (quer como oposto quer como zona 4), Valdir Sequeira, Marcel Gil, Alexandre Ferreira e André Lopes constituem a “espinha dorsal” da seleção, que tem ainda como “líbero” Ivo Casas e o jovem Miguel Rodrigues como distribuidor.
“De uma forma geral, o rescaldo destes jogos com a Espanha é positivo e estou bastante satisfeito, não pelos resultados dos encontros, que me eram indiferentes, mas pela atitude dos nossos jogadores, porque isso demonstra que a equipa está unida e com força para encarar desafios”, refere.
Hugo Silva reconheceu que a presença de jogadores com a experiência do distribuidor Nuno Pinheiro e do atacante Flávio Cruz dariam outras soluções à seleção, mas acredita e confia na atual sequipa, pelo que os objetivos se mantêm intactos.
“Estamos ansiosos por entrar em competição. Temos de entender que não somos favoritos, pois vamos disputar um grupo com a Finlândia, seleção que está apurada para o Campeonato do Mundo e tem uma equipa muito experiente e que, além disso, também joga em casa no segundo torneio”, refere Hugo Silva.
Sem o lesionado Nuno Pinheiro, a responsabilidade da distribuição do jogo ofensiva da equipa portuguesa vai recair sobre os ombros de Tiago Violas, a recuperar de uma lesão no calcanhar, e Miguel Rodrigues.
“Ambos sabemos o que temos a fazer. O Miguel desempenhou muito bem as suas funções nestes jogos com a Espanha e eu só espero estar recuperado no próximo fim de semana para dar o meu contributo à equipa”, referiu Tiago Violas.
O distribuidor acrescenta que o ideal seria vencer os três jogos a realizar em Vila do Conde, para depois, no segundo torneio, que se adivinha complicado e de enorme dificuldade, a realizar na Finlândia, Portugal tentar assegurar a qualificação.
Os vencedores dos seis grupos de qualificação apuram-se para a fase final, que será organizada pela Bulgária, repartida por Sófia e Varna, e pela Itália, em Catânia e Messina. Os segundos classificados apuram-se para a 3.ª ronda.

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon