Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Portugueses que vivem em Malta juntam-se para ver Marcelo

Logótipo de O Jogo O Jogo 14/09/2017 Administrator

Duas dezenas de portugueses que vivem em Malta e que criaram recentemente uma associação de apoio à comunidade lusa juntaram-se hoje nas ruas de Valeta para ver o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Os portugueses colocaram bandeiras nacionais nas baias de proteção junto às quais ia passar o chefe de Estado e assim que Marcelo os viu cumprimentou-os a todos, tirou algumas fotografias e perguntou-lhes como é viver em Malta.

Marcelo Rebelo de Sousa integrava a comitiva de 13 chefes de Estado que está na capital da República de Malta, Valeta, a participar hoje e na sexta-feira nos encontros do Grupo de Arraiolos, que reúne Presidentes não executivos da União Europeia.

Os chefes de Estado começaram por realizar uma sessão de trabalho e depois fizeram um percurso a pé até uma vista panorâmica deste país do Mediterrâneo, e foi no início deste caminho que se encontravam os portugueses.

Samuel Lourenço fundou a Associação de Portugueses em Malta e disse à Lusa que a ideia surgiu porque estavam "desapoiados e desprotegidos".

"Quando precisamos de tratar de um documento temos que ir a Roma [Itália] à embaixada", exemplificou, referindo-se à inexistência de consulado português em Malta.

Outra questão que os preocupa é a falta de apoio para as crianças terem aulas de português nas escolas, referiu.

Os portugueses com quem a Lusa falou estimam que residam em Malta cerca de 400, na sua maioria com idades entre os 20 e os 40 anos, que trabalham em empresas multinacionais, na banca, ou na restauração.

Neste dia, este grupo de portugueses optou por não interpelar Marcelo Rebelo de Sousa sobre os seus problemas, preferindo brindar "ao senhor presidente".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon