Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Prémio Dona Antónia para investigadora Maria Amélia Ferreira e cineasta Leonor Teles

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/07/2017 Administrator

A médica e investigadora Maria Amélia Ferreira e a cineasta Leonor Teles ganharam hoje a 29.ª edição do Prémio Dona Antónia Adelaide Ferreira, galardão que distingue mulheres portuguesas cujo percurso de vida se identifica com a "Ferreirinha".

Dona Antónia Adelaide Ferreira viveu no século XIX e historicamente ficou conhecida como a "Ferreirinha da Régua", tendo dedicado a sua vida à cultura da vinha e à produção de vinho, no Douro.

O prémio foi instituído pela marca Porto Ferreira -- a única das grandes casas de vinho do Porto que se manteve em mãos portuguesas desde que foi fundada, em 1751, pelos Ferreiras da Régua. Os promotores da iniciativa são a Sogrape Vinhos e os herdeiros de Dona Antónia.

De acordo com os promotores da iniciativa, o prémio "Consagração de Carreira" foi, nesta edição, atribuído a Maria Amélia Ferreira, médica, investigadora e diretora da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.

Segundo refere um comunicado sobre o evento, esta categoria homenageia "um percurso de vida consolidado merecedor de inequívoco reconhecimento público".

Por sua vez, o prémio "Revelação" distinguiu a cineasta Leonor Teles e "pretende servir de estímulo a uma carreira com relevância nacional em fase de desenvolvimento, neste caso concreto na área do audiovisual".

A primeira curta-metragem de Leonor Teles, "Balada de um Batráquio", ganhou, em 2016, o Urso de Ouro na "Berlinade" e o "Firebird Award" no Festival de Cinema de Hong Kong.

No âmbito da política de responsabilidade social da marca Porto Ferreira, a Associação Portuguesa de Realizadores beneficiará também de um donativo da marca por cada garrafa vendida em Portugal da gama reserva Dona Antónia de Porto Ferreira, nos meses de agosto e setembro.

De acordo com os promotores, o objetivo é distinguir "duas mulheres portuguesas que personificam valores de caráter e profissionais identificados com o perfil do percurso de vida de Dona Antónia Adelaide Ferreira".

A cerimónia de entrega dos prémios realiza-se hoje, nas Caves Ferreira, em Vila Nova de Gaia, distrito do Porto.

O galardão é atribuído a mulheres que "tenham replicado de alguma forma o excecional exemplo de Dona Antónia nos tempos de hoje, nomeadamente através do contributo para o desenvolvimento económico, social e cultural do país".

A edição anterior homenageou Teodora Cardoso, presidente do Conselho das Finanças Públicas, e Raquel Oliveira, investigadora do Instituto Gulbenkian de Ciência.

A Sogrape é uma empresa de vinhos, fundada em 1942, que possui cerca de 1.500 hectares de vinha nas principais regiões vitivinícolas portuguesas, em Espanha, na Argentina, na Nova Zelândia e no Chile.

Com um portefólio diversificado de marcas emblemáticas e uma estrutura verticalizada (vinhas, produção, marcas e distribuição), a Sogrape está atualmente presente nos cinco continentes e os seus vinhos são comercializados em mais de 120 países.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon