Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

PR francês recebe presidente do parlamento venezuelano controlado pela oposição

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/09/2017 Administrator

O presidente do parlamento da Venezuela, Julio Borges, opositor ao Presidente Nicolás Maduro, congratulou-se hoje com o apoio manifestado pela França, após ser recebido no Eliseu por Emmanuel Macron no início de um périplo europeu.

Macron "comunicou-nos o apoio total à assembleia nacional que nós representamos, e reconhecida como legítima", declarou Borges, após o encontro com o Presidente francês.

O chefe de Estado de França, que não emitiu declarações na sequência deste encontro, criticou recentemente o Presidente Nicolás Maduro, confrontado com quatro meses de manifestações da oposição que exige a sua demissão, e um balanço de pelo menos 125 mortos nos confrontos de rua. A Venezuela é "uma ditadura que tenta sobreviver", considerou na semana passada.

Borges assinalou que as preocupações internacionais sobre a situação na Venezuela é "impressionante". "Tratava-se de um problema local, depois regional e que agora se tornou mundial", sublinhou.

O presidente do hemiciclo de Caracas disse ainda contar com o apoio internacional para que seja possível "uma solução pacífica para a crise social e institucional".

No âmbito da sua deslocação, Borges reúne-se na terça-feira em Madrid com o chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, e segue para Berlim na quarta-feira, onde será recebido pela chanceler Angela Merkel e antes de visitar Londres, onde segundo o seu gabinete manterá um encontro privado com a primeira-ministra Theresa May.

Borges também se referiu à "tragédia humanitária" no seu país, que "não pode nem comer, nem exercer os seus direitos, nem ter uma vida digna". Acusou ainda Maduro de impedir o envio de ajuda internacional para a Venezuela.

Acompanhado por Freddy Guevara, vice-presidente do parlamento, Borges também se reuniu hoje com o presidente do Senado (câmara alta), Gérard Larcher, e tinha previsto um encontro ao início da noite de hoje com o presidente da assembleia nacional, François de Rugy.

Larcher solicitou designadamente a "libertação dos presos políticos" e o "pleno respeito dos direitos da oposição".

A crise política venezuelana agravou-se com a eleição de uma assembleia constituinte controlada pelo poder, dotada de poderes quase ilimitados e que se apropriou de diversas prerrogativas do parlamento.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon