Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

PR/México: Marcelo salienta crescimento das relações económicas e da comunidade portuguesa

Logótipo de O Jogo O Jogo 14/07/2017 Administrator

O Presidente da República, que vai iniciar no domingo uma visita de Estado ao México, salientou, em declarações à agência Lusa, o aumento das relações económicas bilaterais e o consequente crescimento da comunidade portuguesa naquele país.

Numa antevisão desta deslocação aos Estados Unidos Mexicanos, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que "será uma visita muito condensada, muito curta, muito cheia, obviamente, com uma tonalidade económica muito forte - e importante, sobretudo, para o futuro do tecido empresarial português".

O chefe de Estado referiu que "hoje há muitas empresas portuguesas, e empresas importantes, que escolheram o México como destino de atividade," e que, "tirando o Brasil, é o país com maior presença económica portuguesa na América Latina, conjuntamente com a Colômbia".

Marcelo Rebelo de Sousa acrescentou que a presença económica portuguesa "está a crescer, permanentemente", e que este contexto de "importantíssimo relacionamento económico" justifica o fórum empresarial que se vai realizar na terça-feira, último dia da sua visita de Estado.

A lista de mais de 40 empresas inscritas no Fórum Empresarial Portugal-México, a que a Lusa teve acesso, inclui a construtura Mota-Engil, o grupo Visabeira, a farmacêutica Bial, a EDP Renováveis e a Efacec, os bancos Millennium BCP e Santander Totta, a Vista Alegre, a empresa de maquinaria Siroco, a rede de ginásios VivaFit, a tecnológica WeDo e a empresa de materiais de construção Revigrés.

Nas declarações que fez à agência Lusa, o Presidente da República destacou também o encontro que terá, na segunda-feira à noite, com a comunidade portuguesa no México, "que está a aumentar" em consequência das relações económicas: "À medida que aumenta a presença económica, aumenta o número de trabalhadores e de quadros portugueses".

Segundo o embaixador de Portugal no México, Jorge Roza de Oliveira, "a comunidade portuguesa tem crescido exponencialmente na última década".

Os emigrantes portugueses dos anos 50 e 60 do século XX somavam "cerca de 300, 400 pessoas", e atualmente estima-se que haja "à volta de 2500 portugueses" a residir no México, disse o embaixador à agência Lusa.

"Na maioria, são empresários, ou com empresas portuguesas aqui estabelecidas, ou em multinacionais, ou em empresas mexicanas. É uma comunidade hoje sobretudo empresarial, a maioria concentrada na capital e no Estado do México circundante", descreveu.

Jorge Roza de Oliveira adiantou que "há cerca de 80 empresas portuguesas estabelecidas no México, nos mais variados setores", desde as plataformas educativas e plásticos e moldes para a indústria automóvel às infraestruturas e energias renováveis, "sendo a maior a Mota-Engil".

O chefe de Estado estará no México entre domingo ao final do dia e o início da tarde de terça-feira, numa visita de Estado concentrada na capital mexicana.

Na segunda-feira, vai visitar e inaugurar oficialmente as instalações da Mota-Engil na Cidade do México, construtora que celebra o 10.º aniversário da sua presença neste país, e será recebido pelo Presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, no Palácio Nacional.

No plano cultural, além do próprio Palácio Nacional, que foi residência do conquistador espanhol Hernán Cortés e está decorado com famosos murais de Diego Rivera, Marcelo Rebelo de Sousa vai visitar a Catedral Metropolitana e as ruínas do Templo Mayor, do tempo dos astecas, e o Museu Frida Kahlo, na casa onde viveu a pintora.

A sua comitiva nesta viagem inclui o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro, o presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Luís de Castro Henriques, e os deputados Luís Campos Ferreira, do PSD, Edite Estrela, do PS, Nuno Magalhães, líder parlamentar do CDS-PP, e Rita Rato, do PCP.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon