Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

PR moçambicano destaca setor privado ao abrir principal feira de negócios do país

Logótipo de O Jogo O Jogo 28/08/2017 Administrator

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, apontou hoje o setor privado como uma peça fundamental para a capitalização do potencial de Moçambique, ao abrir a principal feira de negócios do país.

"O nosso Governo tem estado a trabalhar no sentido de capitalizar oportunidades de investimento e realizar ações que visam dar corpo ao compromisso de continuar a aumentar a produção", declarou o chefe de chefe de Estado moçambicano.

Filipe Nyusi falava durante a abertura da 53.ª edição da Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Moçambique (Facim), que decorre nos arredores da capital moçambicana.

Para Nyusi, o desenvolvimento económico de Moçambique passa pela adoção de políticas que dinamizem o setor privado, fortalecendo parcerias que abram a exploração dos mercados europeu e asiático.

"As pequenas e médias empresas são o seguimento maioritário e estruturante na dinamização da economia", acrescentou, lembrando que, à escala local, estas empresas geram mais emprego, aumentam a renda e aceleram a diversificação económica.

A modernização das pequenas e médias empresas moçambicanas a partir da troca de experiência com outras empresas de países parceiros é apontada pelo Presidente moçambicano como o melhor caminho para dinamizar o crescimento do setor privado.

"Esperamos que estas empresas identifiquem e conjuguem parcerias de ganhos quantitativos a nível de acesso à tecnologia, conhecimento e fortalecimento de capital", afirmou.

Nyusi disse ainda que a industrialização continua a ser uma prioridade no quadro das ações do governo, que tudo fará para aproveitar a "localização estratégica" do país, que deve apostar na internacionalização dos seus produtos.

"A promoção da formação dedicada sobre internacionalização e inteligência de mercados externos deve igualmente ser uma ação a prosseguir", frisou o chefe de Estado que aponta os portos de Maputo, Beira e Nacala como "excelentes pontos de entrada" para o mercado regional.

A 53.ª edição da Facim junta 1.900 empresas de 29 países, que expõem em seis pavilhões do espaço de Ricatlha, em Marracuene, arredores da capital moçambicana, até 03 de setembro.

Entre a lista dos países expositores destacam-se Portugal, Alemanha, Itália, Reino Unido, Holanda, Bielorrússia, África do Sul, Angola, Tanzânia e Zâmbia.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon