Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Presidente da federação de taekwondo acusado de crimes de ameaça e agressão

Logótipo de O Jogo O Jogo 12/04/2017 Cristina Aguiar

O Ministério Público (MP) de Santarém deduziu uma acusação contra o presidente da Federação Portuguesa de Taekwondo (FPT), por ameaças e agressões a um delegado da associação de Lisboa da modalidade.

© Mohammed Badra

José Luís Sousa, que está sujeito à medida de coação menos gravosa, termo de identidade e residência, é acusado de um crime de ameaça agravada e de outro de ofensa à integridade física.

De acordo com a acusação, a que a agência Lusa teve acesso, José Luis Sousa terá dito a Paulo Diniz que se retirasse do Centro de Negócios e Inovação de Rio Maior e que "se deslocasse para a rua porque aí lhe daria umas cabeçadas e uns socos".

Paulo Diniz terá dito "que não iria para a rua" e que denunciaria perante os tribunais "em relação à sua gestão daquela instituição [FPT]".

Depois disso, José Luis Sousa terá empurrado Paulo Diniz e dito que o iria "apanhar fora dali e dar-lhe dois tiros".

Recentemente, o Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa condenou José Luís Sousa à perda do mandato, por incompatibilidade de funções.

A ação judicial, passível de recurso, foi movida pela Associação de Taekwondo de Lisboa, que suscitou a incompatibilidade, com base na acumulação de funções de José Luís Sousa como líder federativo e treinador no Clube de Natação de Rio Maior.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon