Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Presidente da República pede ação imediata contra a doença de Alzheimer

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/09/2017 Administrator

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou hoje que a doença de Alzheimer se tornará "um dos maiores problemas sociais nas próximas décadas" e defendeu que é preciso agir de imediato, a nível global.

"Alzheimer afeta a saúde, a felicidade e a dignidade de pessoas por todo o mundo. E somos nós, como sociedade global, que temos de levar esta luta por diante, agora, antes de enfrentarmos um problema muito maior daqui a 30 ou 40 anos. Agora é o momento de agir", declarou o chefe de Estado, num discurso em inglês.

Marcelo Rebelo de Sousa deixou este apelo na abertura oficial da cimeira internacional "Alzheimer's Global Summit", na Fundação Champalimaud, em Lisboa, que é organizada por esta instituição em conjunto com a Fundação Rainha Sofia, de Espanha.

Depois de pedir urgência na luta contra esta doença, acrescentou: "É por isso que não posso estar mais orgulhoso de me juntar a vocês nesta cimeira. Aqui, na Fundação Champalimaud, estamos prestes a embarcar numa viagem para a qual futuras gerações poderão vir a olhar como histórica, como o momento em que um movimento global se juntou para derrotar uma das doenças mais temidas do planeta".

O Presidente da República referiu-se ao Alzheimer como "uma doença cruel, capaz de roubar a personalidade e a saúde dos indivíduos" e cujo impacto se estende à família, às comunidades e sociedades.

"Portanto, é muito mais do que uma doença e vai tornar-se um dos maiores problemas sociais nas próximas décadas", considerou.

Marcelo Rebelo de Sousa salientou que "a cada ano a prevalência da doença aumenta" e apontou como "uma das questões fundamentais" atuais saber "como se pode ajudar doentes, famílias e comunidades nesta luta".

No início da sua intervenção, o chefe de Estado expressou "gratidão e admiração" pelo papel da rainha Sofia - que esteve presente nesta sessão de abertura - na luta contra a doença de Alzheimer.

O Presidente da República elogiou também Leonor Beleza, pelo seu "trabalho inspirador como presidente da Fundação Champalimaud", e os cientistas presentes nesta cimeira, entre os quais António e Hanna Damásio.

"Têm todos a minha gratidão", disse.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon