Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Presidente do Irão avisa que Teerão responderá às sanções americanas

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/07/2017 Administrator

O Presidente do Irão, Hassan Rohani, afirmou hoje que Teerão responderá "de forma adequada" às mais recentes sanções dos Estados Unidos, salientando no entanto que o país continua comprometido com o acordo nuclear firmado com as potências internacionais.

Num contexto de endurecimento das relações entre Washington e Teerão, reconhecidas mundialmente como tensas e difíceis, os Estados Unidos anunciaram na terça-feira novas sanções jurídicas e financeiras contra o programa iraniano de mísseis balísticos e as atividades "desestabilizadores" do Irão no Médio Oriente, independentemente da manutenção do acordo concluído em 2015 sobre o programa nuclear iraniano.

As novas sanções americanas abrangem 18 cidadãos, entidades e grupos iranianos que alegadamente terão ajudado ao desenvolvimento do programa de mísseis balísticos do Irão.

"A República Islâmica do Irão respeitará sempre os compromissos internacionais", disse Rohani, numa declaração diante dos ministros iranianos que foi transmitida na televisão.

Mas se os Estados Unidos querem "impor novas sanções sob qualquer pretexto, a nação iraniana responderá de forma adequada", disse o chefe de Estado iraniano.

"Não perdoaremos violações por parte dos americanos", reforçou.

Na terça-feira, e após o anúncio das novas sanções de Washington, a diplomacia iraniana já tinha ameaçado "sancionar novos indivíduos e entidades norte-americanas que atuem contra o povo do Irão e outros povos muçulmanos da região".

Foi igualmente divulgado que o parlamento iraquiano vai preparar a votação de uma lei para o reforço do programa balístico e da força de elite Quds da Guarda Revolucionária Iraniana para lutar contra as ações "terroristas" e "aventureiras" de Washington.

Na mesma declaração diante dos ministros, Rohani acusou os Estados Unidos de "duplicidade".

"Por um lado, enviam relatórios oficiais ao Congresso [norte-americano] que confirmam que o Irão respeita plenamente o acordo nuclear, e por outro impõem novas sanções avançando com várias desculpas, contrárias à lógica e ao espírito", referiu o Presidente Rohani.

O líder iraniano acusou ainda o seu homólogo americano, Donald Trump, de romper com os acordos internacionais sobre Cuba, a Coreia do Norte e as alterações climáticas, todos concluídos pelo seu antecessor Barack Obama.

Segundo Hassan Rohani, os Estados Unidos pressionam Teerão "a abandonar os compromissos" e estão preocupados com o melhoramento das relações económicas "entre o Irão, Ásia e a Europa".

"Estamos satisfeitos pelo facto do grupo 5+1 proteger fortemente até hoje" o acordo sobre o programa nuclear iraniano, concluiu.

O acordo nuclear entre o Irão e o grupo de países 5+1 (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU -- Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia e China -- e a Alemanha) foi alcançado em julho de 2015 em Viena.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon