Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Presidente do Lyon acusa UEFA de não ter regulado a transferência de Neymar

Logótipo de O Jogo O Jogo 08/08/2017 Hugo M. Monteiro

Em causa está o alegado incumprimento do regulamento do fair-play financeiro.

O presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas, criticou a UEFA pela falta de rigor no regulamento do fair-play financeiro, referindo-se à transferência do futebolista brasileiro Neymar do Barcelona para o Paris Saint-Germain, por 222 milhões de euros.

© IVAN DEL VAL

Em entrevista ao diário francês L'Equipe, Aulas, o grande mentor dos títulos franceses conquistados pelo Lyon entre 2002 e 2008, referiu que esta transferência "desequilibrará as contas" do PSG, acusando a UEFA de não ter regulado o negócio.

Para o presidente do Lyon, a UEFA "perdeu um dos maiores defensores do 'fair-play' financeiro" com a saída de Michel Platini da presidência do organismo, remetendo para o governo francês a responsabilidade de monitorizar estas transferências.

"Se o fair-play financeiro não cumpre o seu papel no plano europeu, então será necessário que o Estado francês verifique e controle de onde vem o financiamento" nestas transferências.

Para Aulas, os clubes franceses não poderão lutar "contra investidores como o Estado do Qatar, que gera enormes lucros com a produção de gás", disse o dirigente, para quem a 'operação Neymar' "custará ao PSG mais de 1.000 milhões de euros".

Segundo Aulas, para equilibrar as contas para a próxima época desportiva, o PSG terá de ter um orçamento de 700 milhões de euros, uma verba que o clube será incapaz de cobrir com as receitas.

O presidente do Lyon insistiu que "o futebol vive um perigoso sistema de desregulação económica, onde só o Qatar ou os Emirados Árabes Unidos podem atuar".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon