Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Primeiro parque de ciência e tecnologia dos Açores criou 60 postos de trabalho em dois anos

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/09/2017 Administrator

O primeiro parque de ciência e tecnologia dos Açores, o Nonagon, localizado na Lagoa, ilha de São Miguel, abrangeu, em dois anos, 23 empresas, que criaram cerca de seis dezenas de postos de trabalho, foi hoje anunciado.

"Este é o primeiro parque de ciência e tecnologia na região. Difere de um parque empresarial. A nossa oferta é diferente, a nossa missão é diferente e quem está alinhado com este tipo de dinâmicas reconhece o valor do projeto", adiantou, em declarações à Lusa, Teresa Ferreira, administradora-delegada do Nonagon.

O segundo aniversário do parque é comemorado hoje, com a iniciativa "Open tek day", com várias palestras e a apresentação de um jogo informativo, desenvolvido pelas empresas 'start up' residentes no Nonagon.

As previsões apontam para que, até ao final do ano, as empresas aumentem o número de funcionários para cerca de 80, mas já há lista de espera para a integração de novas empresas no parque.

"Todas as empresas que apostam na inovação e no desenvolvimento aplicacional já cá estão. Temos alguma lista de espera para algumas áreas de ocupação, sobretudo, espaços de incubação e empresariais, que os próximos edifícios irão colmatar, porque vão duplicar a oferta que neste momento podemos oferecer", disse a administradora-delegada do parque.

Por enquanto, o Nonagon tem apenas um edifício em funcionamento, mas o projeto prevê a criação de mais três, sendo que a segunda fase deverá arrancar até ao final do ano.

"Este edifício tem várias áreas funcionais e elas estão todas ocupadas. Temos aqui várias tipologias, empresas sénior, empresas na área de incubação, em 'soft landing', em 'open-space', em 'co-work'", afirmou Teresa Ferreira.

As empresas são maioritariamente de base tecnológica, ligadas a várias áreas, como monitorização, turismo, pescas e agroindústria, sendo que todas investem em desenvolvimento aplicacional e investigação empresarial.

No ano de entrada em funcionamento, o Nonagon foi certificado como entidade competente para apoio à atividade empreendedora, pela Enterprise Business Network, uma das maiores redes europeias de apoio à atividade empreendedora, pertencendo também às redes nacional e mundial de parques de ciência e tecnologia.

A responsável realçou a mudança de mentalidade das empresas mais jovens, que o Nonagon veio permitir, destacando que elas cooperam entre si.

"São estas redes de parques de ciência e tecnologia, de incubadoras e de centros de investigação e competências que nos garantem apoio para alavancar e resolver problemas que as nossas empresas estejam a ter no âmbito dos seus projetos de desenvolvimento aplicacional", frisou.

Segundo Teresa Ferreira, por enquanto, não é possível avaliar o impacto económico da instalação do Nonagon, porque o período de implementação normal do parque é de dez anos, mas nota uma dinâmica diferente na Lagoa.

"A dinâmica do concelho e da cidade muda radicalmente porque trazemos eventos que, de outra forma, não viriam e isso impulsiona o desenvolvimento da economia local", apontou.

Está a ser criado nos Açores um segundo parque de ciência e tecnologia, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, com enfoque nas áreas da biotecnologia e da indústria agroalimentar.

As obras, que se iniciaram em agosto de 2016, têm conclusão prevista para fevereiro do próximo ano.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon