Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Prisão de até 20 anos para acusados da morte de opositor russo Boris Nemtsov

Logótipo de O Jogo O Jogo 13/07/2017 Administrator

Os cinco homens acusados da morte do opositor russo Boris Nemtsov em fevereiro de 2015 foram condenados hoje por um tribunal de Moscovo a penas de prisão que vão dos 11 aos 20 anos de prisão.

O homem acusado de disparar quatro vezes sobre Boris Nemtsov, Zaour Dadaiev, foi condenado a 20 anos de prisão, enquanto os seus quatro coacusados, todos originários de repúblicas muçulmanas da Chechénia e Inguchétia, receberam penas de entre 11 e 19 anos em regime "severo".

O tribunal não conseguiu determinar quem mandou assassinar Nemtsov, uma das principais figuras da oposição do Presidente russo, Vladimir Putin.

A detenção em regime "severo" implica menos visitas de familiares ou próximos e menos tempo de recreio do que o regime "normal".

Os cinco homens, que estavam a ser julgados desde outubro de 2016, alegaram estar inocentes dos crimes imputados e foram considerados culpados por um coletivo de jurados -- chamado a pronunciar-se apenas sobre a culpa - no passado dia 29 de junho.

No dia em que Zaour Dadaiev, Chadid e Anzor Gubachev, Temirlan Eskerkhanov e Khamzat Bakhaiev foram considerados culpados, o advogado da família Nemtsov qualificou como "fiasco total" o inquérito sobre a morte do político.

A polícia russa continua a procurar um sexto homem, Ruslan Mukhudinov, também checheno, identificado em dezembro de 2015 como o mandante presumível do crime.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon