Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Processo de convergência tarifária na energia permitiu à Madeira receber 700 ME

Logótipo de O Jogo O Jogo 02/08/2017 Administrator

O processo de convergência tarifária na energia permitiu à região arrecadar cerca de 700 milhões de euros, revelou hoje o presidente do conselho de administração da Empresa de Eletricidade da Madeira (EEM), Rui Rebelo.

"Desde 2004, com o processo de convergência tarifária", o custo da energia "é igual ao nacional", disse o responsável madeirense no âmbito da visita que o presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, efetuou hoje às obras de ampliação do aproveitamento hidroelétrico da Calheta.

Rui Rebelo apontou que, "desde que está na convergência, a Madeira já recebeu, através do sistema elétrico nacional, cerca de 700 milhões de euros".

Segundo o responsável da EEM, "desde 2003/2004 que a Madeira tem um tarifário igual ao restante do país e não é por aí que a economia regional deixa de ter competitividade".

Também apontou que este valor corresponde ao montante "que os consumidores regionais deixaram de pagar em eletricidade e aplicaram noutras atividades".

Rui Rebelo referiu ainda que "os Açores têm uma compensação superior", argumentando que existe "um equilíbrio das coisas" nesta área.

"É fundamental a Madeira continuar com este projeto de convergência tarifária", defendeu, sublinhando que este processo de regulação em Portugal "é muito apreciado a nível europeu".

Sobre o investimento hoje visitado, Rui Rebelo realçou que "tem uma vida útil de 70 anos e vai gerar poupanças de 80 milhões de euros".

O projeto de ampliação do aproveitamento hidroelétrico da Calheta, na zona oeste da ilha, representa um investimento na ordem dos 68 milhões de euros.

Será desenvolvido sob a responsabilidade da Empresa de Eletricidade da Madeira (EEM), consistindo no aumento da capacidade de produção hidroelétrica e na transformação em sistema reversível, com captação, armazenamento e bombagem de água.

Os trabalhos vão decorrer nos próximos dois anos e pressupõem uma contribuição de 45 milhões de euros de fundos no âmbito do Quadro Comunitário 2014-2020.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon