Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Projeto "Caminhar a sorrir" ajuda utentes dos centros de saúde no Douro Norte

Logótipo de O Jogo O Jogo 27/07/2017 Administrator

Os centros de saúde do Douro Norte estão a implementar o projeto "Caminhar a sorrir" que disponibiliza serviço de fisioterapia para tratar e prevenir as complicações associadas à osteoartrose, doença crónica com prevalência nesta região envelhecida e agrícola.

A iniciativa do Agrupamento de Centros de Saúde Douro I - Marão e Douro Norte quer levar os tratamentos de fisioterapia a mais utentes e evitar as deslocações à sede de distrito, Vila Real.

Segundo informou o ACES, a osteoartrose (do joelho ou anca) é uma doença crónica, progressiva e degenerativa, muito prevalente na população do Douro Norte, pela sua interioridade e ruralidade.

O agrupamento abrange os municípios de Alijó, Mesão Frio, Murça, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Sabrosa e Vila Real.

Este é um território com uma população muito envelhecida e cuja atividade principal se centra no trabalho agrícola, o que representa uma "sobrecarga músculo-esquelética, provocando diminuição da resistência óssea".

Através deste projeto, que foi premido pela iniciativa "Missão Sorriso" com cerca de 26 mil euros, foram adquiridos equipamentos e, nos centros de saúde, são disponibilizados tratamentos por parte da equipa de fisioterapeutas do ACES Douro Norte.

O objetivo é "promover a qualidade dos cuidados de saúde" e "reduzir a morbilidade associada a esta patologia".

Através da fisioterapia pretende-se atrasar o início das complicações e reduzir a sua incidência, reduzir a ingestão de fármacos, minimizar ou adiar o recurso à cirurgia, diminuir o absentismo laboral, promover a autonomia dos utentes e transmitir conhecimentos para o autocuidado.

Esta doença é caraterizada pela rutura da cartilagem articular, causando dor e incapacidade. O sintoma mais proeminente é a dor, seguindo-se a redução do equilíbrio, fraqueza muscular, diminuição da amplitude e instabilidade articular, afetando a capacidade de realização das atividades da vida diária.

A dor crónica resultante da osteoartrose é uma condição comum nestes utentes, a partir dos 50 anos.

De acordo com dados do ACES, o projeto prevê beneficiar cerca de 6.500 utentes com diagnóstico de osteoartrose de joelho e 3.000 com diagnóstico de osteoartrose de anca.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon