Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Projeto comunitário junta-se ao Folio e distribui 800 árvores para público plantar

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/10/2017 Administrator

Oitocentas árvores para plantar vão ser distribuídas no domingo em Óbidos, dia em que a comunidade local vai marcar o programa do Folio com iniciativas como lançar palavras ao vento ou fazer tartes que salvam o mundo.

"A revolução do bem comum" chega ao Folio -- Festival Literário Internacional de Óbidos, por iniciativa do Espaço Ó, onde uma equipa interdisciplinar desenvolve ações de "integração da comunidade local na criação e promoção dos produtos da região", explicou à Lusa Joana Rodrigues, coordenadora do projeto "Ativa-te".

O projeto - que envolve empreendedores locais, a comunidade escolar, os utentes de centros de dia e lares do concelho e a Silver Coast Volunteers, uma associação de voluntários para a integração de estrangeiros - vai desenvolver no domingo, no âmbito do Folio, "um conjunto de atividades que culminam com uma festa comunitária à entrada vila, onde cada um dará o que quiser, desde comida para partilhar, à música ou à poesia", disse a mesma responsável.

Mas, antes, a revolução na comunidade inicia-se com a abertura de uma loja para exposição e venda dos produtos criados no Espaço Ó, denominada "Identidade" e onde, até ao final do Folio, poderão ser adquiridos os produtos feitos pelos envolvidos no projeto.

Em frente à loja, na Porta da Vila, "vai ser distribuído um manifesto à terra" e "800 árvores autóctones que as pessoas podem plantar onde quiserem e ajudar a recuperar os nossos pinhais", acrescentou Joana Rodrigues.

À festa da comunidade chegarão ainda "tartes que também mudam o mundo", ou seja, explicou Joana, "tartes feitas com fruta que cai das árvores e que normalmente fica no chão", mas que desta vez foram apanhadas por pessoas de uma quinta pedagógica e uma engenheira ambiental para este projeto.

No local decorrerá ainda um 'atelier' de serigrafia no âmbito do qual o público do Folio "vai deitar palavras ao vento", escolhendo uma palavra para serigrafar que será depois atada a elásticos na Porta da Vila, onde ficarão ao vento.

A festa comunitária prosseguirá depois com artistas locais a "tocar, cantar e declamar poesia em torno de uma mesa portuguesa onde cada um porá o que tiver para dar e comerá o que quiser comer num encontro que é uma celebração", concluiu Joana Rodrigues.

Sob o tema "Revoluções Revoltas e Rebeldias" o Folio, que na quinta-feira abriu portas em Óbidos, desenvolve-se em cinco capítulos - Autores, Folia, Educa, Ilustra e Folio Mais.

Vinte e nove mesas de autores, dez exposições, 15 conversas e um seminário internacional marcam o programa da terceira e mais internacional edição do festival que se prolonga até ao dia 29.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon