Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

PSD/Caminha diz que acordo da câmara socialista para extinguir PPP "vale zero"

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/09/2017 Administrator

O PSD/Caminha acusou hoje a maioria socialista no executivo municipal de praticar um ato "ilegal", que "vale zero", ao assinar um acordo para extinção da Parceria Público Privada (PPP) das piscinas municipais de Vila Praia de Âncora.

Em comunicado, hoje, a concelhia do PSD afirmou tratar-se de "pura demagogia eleitoralista e de um atentado à inteligência da população", garantindo que o presidente da autarquia "não tem legitimidade" para assinar um memorando de entendimento com os representantes do grupo privado que detém a maioria do capital daquela PPP.

"O presidente não tem legitimidade, porque não tem poderes delegados para celebrar aquele acordo. Logo é ilegal e vale zero", sustenta a concelhia social - democrata, explicando que aquela PPP "foi aprovada na Câmara e na Assembleia Municipal".

"A sua extinção só tem validade se aprovada pelos mesmos órgãos. Logo o memorando é ilegal", referiu o PSD de Caminha.

Na segunda-feira, em comunicado, o executivo liderado pelo socialista Miguel Alves anunciou a "extinção" da PPP das piscinas municipais, pagando 6,5 milhões de euros pelo equipamento que, caso se mantivesse a parceria até 2033, lhe custaria um total de 19 milhões de euros.

Revelou ter chegado a acordo com os acionistas da sociedade, "após mais de três anos de negociações" e que os 6,2 milhões de euros "deverão ser pagos a pronto aos acionistas privados".

O PSD reagiu hoje, afirmando que para "comprar as piscinas, a pronto" a Câmara, "tem que pedir empréstimo".

"A única coisa que altera é que em vez de pagar à PPP - Caminhaequi - passará a pagar a um banco. O empréstimo vai manter-se", frisou.

Na resposta, o socialista Miguel Alves disse que "o desespero do PSD é tanto que não consegue ficar contente com uma boa notícia para o concelho de Caminha".

"Só o fanatismo explica que o PSD defenda que é melhor pagar 19,6 milhões de euros até 2033 do que 6, 2 milhões nos próximos 20 anos", frisou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon