Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Quim Machado quer segundo triunfo seguido e “cultura de vitória” no Belenenses

Logótipo de LusaLusa 04/02/2017 Marco Oliva
FERNANDO VELUDO/LUSA © LUSA / FERNANDO VELUDO FERNANDO VELUDO/LUSA

Lisboa, 04 fev (Lusa) - O treinador do Belenenses afirmou hoje querer somar a segunda vitória consecutiva pelos ‘azuis', mas alertou para as dificuldades que o 'aflito' Tondela vai criar na visita ao Restelo, da 20.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Na antevisão ao encontro de domingo, no Estádio do Restelo, Quim Machado, que ainda não logrou dois triunfos consecutivos ao serviço da equipa do Restelo, revelou a necessidade de o Belenenses começar a criar uma "cultura de vitória", razão pela qual espera dar sequência à vitória da semana passada, sobre o Boavista.

"Não basta vencer uma vez. É essa mentalidade que incutimos nos nossos jogadores. Se conseguimos uma vitória, temos de conseguir a segunda e depois a terceira. Neste momento, temos de ir à procura da segunda vitória", afirmou, em conferência de imprensa.

Apesar de o Tondela ser o último classificado da I Liga, o técnico não antecipou facilidades, perante um adversário que vai deslocar-se ao Restelo para "tentar roubar pontos ao Belenenses".

"Este campeonato é muito equilibrado. Além disso, as equipas reforçaram-se neste mercado de inverno e acabam por ter jogadores novos. Temos de entrar determinados e não podemos olhar à tabela classificativa, porque seria um erro", alertou.

Quim Machado revelou que os dois últimos reforços assegurados na reabertura do ‘mercado', Robert Persson e Diogo Viana, já poderão ser utilizados, sendo que o médio sueco veio colmatar uma posição em que os 'azuis' ficaram deficitários.

"O Persson é um médio defensivo, um polivalente, que pode fazer duas ou três posições. Tivemos a saída do Palhinha [para o Sporting] e precisávamos de um jogador que pudesse fazer essa posição. É um jogador estrangeiro e terá uma fase de adaptação, mas encontrou um bom grupo e bom balneário, o que vai facilitar a sua adaptação", analisou.

Por outro lado, o treinador dos ‘azuis' considerou que "o tempo dirá" se o plantel ficou mais forte ou mais fraco após a ‘janela' de inscrições, durante a qual a formação de Belém operou várias mudanças, entre entradas e saídas.

"Tivemos de ir ao mercado porque vieram buscar os melhores jogadores, como foram os casos do Gerso, Joel [Pereira], Palhinha, Sturgeon. Eram jogadores com qualidade e tínhamos de colmatar essas saídas. São jogadores diferentes e têm de ganhar rotinas. O tempo dirá se estamos mais fortes ou mais fracos", concluiu.

Belenenses, 12.º classificado com 23 pontos, e Tondela, 18.º e último com 13, jogam no domingo, a partir das 20:15, no Estádio do Restelo, em Lisboa, numa partida que será dirigida pelo árbitro Bruno Paixão, da associação de Setúbal.

MYO // JP

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon