Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Rússia afirma que míssil coreano foi de "médio alcance"

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/07/2017 Administrator

O Ministério da Defesa russo indicou hoje que míssil balístico testado pela Coreia do Norte é de médio alcance e não intercontinental, ou de longo alcance, como afirmou Pyongyang.

"Os dados paramétricos de voo do engenho têm as características de um míssil balístico de médio alcance", indicou o ministério russo num comunicado, citado pela agência France-Presse.

O comando das forças norte-americanas para o Pacífico também já tinha feito saber que se tratou de um míssil de alcance "intermédio".

De acordo com o ministério russo da Defesa, o míssil foi lançado por Pyongyang na noite de segunda para terça-feira, às 03H46 de Moscovo (00H46 TMG). Ascendeu a uma altura de 535 quilómetros e voou mais de 510 quilómetros, antes de cair no mar do Japão.

O ensaio "histórico" de um míssil Hwasong-14 foi supervisionado pelo líder norte-coreano, Kim Jong-Un, anunciou hoje a televisão estatal norte-coreana.

A Coreia do Norte é "uma potência nuclear forte", que está dotada de um muito poderoso Míssil Balístico Intercontinental que pode atingir o mundo inteiro", acrescentou o boletim noticioso especial da televisão norte-coreana, precisando que o projétil lançado tinha atingido uma altitude de 2.802 quilómetros e voado uma distância de 933 quilómetros.

O ensaio, realizado no dia nacional dos Estados Unidos, levou o Presidente norte-americano, Donald Trump, a dirigir-se através da rede social Twitter a Pequim, pedindo ao principal aliado da Coreia do Norte para "colocar um fim a este absurdo de uma vez por todas".

A China reagiu, afirmando ter "realizado esforços imensos" para resolver a questão nuclear norte-coreana, e apelou à "contenção" das partes.

O Presidente russo, Vladimir Putin, deverá receber hoje no Kremlin o seu homólogo chinês, Xi Jinping, com quem debaterá as relações comerciais bilaterais e os principais dossiers internacionais, entre os quais o da Coreia do Norte.

O dirigente chinês chegou na segunda-feira à noite a Moscovo e já teve um encontro informal com Putin.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon