Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Real apurou-se para a sua 13ª final da Champions

Sportinveste 30/04/2014 Fonte: Sportinveste Multimédia
Real apurou-se para a sua 13ª final da Champions © Sportinveste Multimédia Real apurou-se para a sua 13ª final da Champions

O Real apurou-se para a sua 13ª final da Taça dos Campeões, registo recorde. O site UEFA.com recorda as 12 anteriores, incluindo o domínio madrugador e o último triunfo em 2002.

- 1955/56: Real Madrid CF 4-3 Stade de Reims
Na primeira final da Taça dos Clubes Campeões Europeus, o Real esteve a perder por 2-0 ao fim de dez minutos no Parc des Princes, mas recuperou. O Reims vencia por 3-2 à passagem dos 60 minutos, mas Manuel Marquitos voltou a empatar rapidamente, cabendo a Héctor Rial marcar o golo da vitória, a 11 minutos do fim.

- 1956/57: Real Madrid CF 2-0 AC Fiorentina
O Real tinha a vantagem de jogar em casa na sua segunda final, e assistiu-se a um desfecho familiar no encontro do Santiago Bernabéu, com a equipa da "casa" a festejar novamente. O adversário italiano dificultou a tarefa, mas o penalty de Alfredo Di Stéfano, a meio da segunda parte, finalmente quebrou a sua resistência, com Paco Gento a selar o resultado final.

- 1957/58: Real Madrid CF 3-2 AC Milan (aet)
Mais uma vez, o Real recuperou de uma derrota quase certa, desta feito no Estádio Heysel. De cada vez que parecia que a equipa espanhola ia ceder o título, Di Stéfano reduziu a diferença e Rial fez o 2-2, com 11 minutos por jogar. Dessa forma, o jogo tornou-se na primeira final a ser decidida no prolongamento, onde o golo de Gento, aos 107 minutos, garantiu a continuidade do troféu em Madrid.

- 1958/59: Real Madrid CF 2-0 Stade de Reims
Uma repetição da primeira final e com o mesmo desfecho – o troféu na posse do Real. Um golo madrugador em cada parte desfez as esperanças do Reims no Neckarstadion, em Estugarda, com o Real a não acusar a ausência de Ferenc Puskás e uma lesão de Raymond Kopa no início da partida. Os golos de Enrique Mateos, logo no primeiro minuto, e de Di Stéfano, no recomeço do jogo, fizeram a diferença.

- 1959/60: Real Madrid CF 7-3 Eintracht Frankfurt
A última vitória das cinco consecutivas do Real na Taça dos Campeões Europeus foi a mais notável, já que o Eintracht foi derrotado de forma sublime em Glasgow. Puskás tornou-se no primeiro jogador a apontar um "hat-trick" numa final, acabando o desafio com quatro. Di Stéfano marcou três numa exibição fantástica, perante 127.000 espectadores em êxtase em Hampden Park.

- 1961/62: SL Benfica 5-3 Real Madrid CF
Apesar da incrível série vitoriosa do Real ter chegado finalmente ao fim em 1959/60 – eliminado pelo FC Barcelona na primeira eliminatória – voltou à final na temporada seguinte, com Puskás a marcar o seu segundo "hat-trick" no jogo decisivo, realizado no Estádio Olímpico, em Amesterdão. No entanto, desta vez, foi frustrado pelos dois golos de Eusébio, que ajudaram a revalidar o título para o Benfica.

- 1963/64: FC Internazionale Milano 3-1 Real Madrid CF
O Real voltou a perder dois anos depois, com os veteranos Di Stéfano e Puskás eclipsados por Sandro Mazzola, do Inter, no Praterstadion, em Viena. Mazzola e Aurelio Milani deram dois golos de vantagem ao Inter, e apesar de Felo ter reduzido, o segundo de Mazzola garantiu o triunfo.

- 1965/66: Real Madrid CF 2-1 FK Partizan
O Partizan tornou-se na primeira equipa do leste europeu a alcançar a final, mas o Real foi demasiado forte em Bruxelas. O desfecho parecia ser diferente quando Velibor Vasovic colocou a formação jugoslava em vantagem, mas golos de Amancio Amaro e Fernando Serena, nos últimos 20 minutos, permitiram ao Real – capitaneado por Gento, a disputar a sua sexta final – erguer novamente o troféu.

- 1980/81: Liverpool FC 1-0 Real Madrid CF
Em contraste com o domínio madrugador na competição, o Real teve de esperar 15 anos pela sua próxima final. Desta feita o Parce des Princes não se revelou um palco feliz, com o tento tardio de Alan Kennedy a garantir que o Liverpool manteve a tradição inglesa recente no torneio.

- 1997/98: Real Madrid CF 1-0 Juventus
Mais uma vez, o Real teve um longo jejum até regressar a uma final, estreando-se na era da UEFA Champions League, na Amsterdam ArenA. Um golo foi suficiente para a conquista do sétimo título, com Predrag Mijatovic a facturar a meio da segunda parte e os "merengues a averbarem a "la séptima" (a sétima).

- 1999/2000: Real Madrid CF 3-0 Valencia CF
Depois de ter esperado 32 anos pelo sétimo título, decorreram apenas dois anos até chegar o oitavo, na primeira final da Taça dos Campeões Europeus entre equipas do mesmo país. Fernando Morientes inaugurou o marcador no Stade de France antes do intervalo, e golos de Steve McManaman e Raúl González, na segunda parte, terminaram com a resistência do Valência.

- 2001/02: Real Madrid CF 2-1 Bayer 04 Leverkusen
De regresso ao palco do seu triunfo mais famoso na prova, Hampden Park, o Real voltou a sagrar-se campeão, pela terceira vez no espaço de cinco épocas. Raúl tornou-se no primeiro jogador a marcar em duas finais da UEFA Champions League, logo a abrir, e apesar de Lúcio ter empatado quase de seguida, o icónico remate à meia volta de Zinédine Zidane foi um golo da vitóri

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon