Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Recorde do disco "salva" tarde ventosa nos Campeonatos de Portugal de atletismo

Logótipo de O Jogo O Jogo 12/06/2017 Hugo M. Monteiro

Francisco Belo foi uma das grandes figuras nos Campeonatos de Portugal de atletismo

O recorde nacional do disco, de Francisco Belo, "salvou" uma tarde muito ventosa em Vagos, que afetou fortemente a qualidade dos resultados nos Campeonatos de Portugal de atletismo, nomeadamente nos setores da velocidade e dos saltos.

Segundo melhor no peso, no sábado, Francisco Belo acabou por ser a grande figura da tarde, com 61,68 metros ao segundo ensaio, a riscar da lista de recordes os seus 61,55, feitos por ele em Leiria em fevereiro passado. Mas não se ficaria por aqui e aproveitou um dia de feição para melhorar ainda mais, com 62,01 no sexto e último ensaio.

Três dias depois de ter brilhado no "meeting" de Roma, onde foi quarta, Patrícia Mamona apresentou-se ao seu público para ser campeã nacional pela décima vez, com seis saltos 'ventosos', o melhor dos quais a 14,40 metros.

Nesse salto, o vento soprava a 4,2 metros por segundo e nos outros cinco esteve entre os +3,8 m/s e os +5,8 m/s, uma situação perfeitamente desmotivante para os atletas em prova. Susana Costa foi natural segunda com 13,91, e Evelise Veiga, a campeã do comprimento, terceira, com 13,39.

© Tony Dias

Mamona acabou por ser a única grande figura lusa em ação na jornada, já que Marta Pen, que recentemente fez mínimos para os Mundiais nos 1.500 metros (segunda portuguesa de sempre, atrás de Carla Sacramento), acabou por não correr em nenhuma das distâncias em que estava inscrita. Marcos Chuva, que ainda procura mínimos no comprimento, também prescindiu de competir.

Na vara, Marta Onofre foi surpreendida pelas rivais e perdeu o título, ficando pelo terceiro lugar, com 4,00 metros. Hoje estiveram bem melhor Leonor Tavares, com 4,10, e sobretudo a nova campeã, Cátia Pareira, única a 4,20.

As duas melhores especialistas do momento em provas combinadas, Lecabela Quaresma e Marisa Vaz de Carvalho, não foram ao heptatlo e preferiram enfrentar-se nos 100 metros barreiras, para serem primeira e segunda, respetivamente. Também aqui, a marca de Lecabela, 13,49 segundos, não é homologável.

Dário Manso reconquistou o título do martelo, perdido no ano passado para António Vital e Silva, agora segundo, e no salto em altura o novo campeão é o júnior Pedro Pinheiro (2,02).

Como se esperava, Loréne Bazolo juntou ao hectómetro a vitória nos 200 metros e no setor masculino o vencedor é David Lima - ambos com marcas altamente favorecidas pela 'ventania' e que por isso não ficarão para a história.

Novo título também para Sílvia Cruz, no dardo, para Vera Barbosa, nas barreias baixas, e para Jessica Inchude, no peso, absolutamente esperados.

Hélio Vaz surpreendeu o favorito Rasul Dabo, para o seu primeiro título de campeão de Portugal

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon