Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Redondo reduz rega para salvaguardar abastecimento público, devido à seca

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/08/2017 Administrator

Os agricultores do perímetro de rega da albufeira da Vigia, no concelho de Redondo, distrito de Évora, estão a reduzir os consumos de água nas suas culturas, devido à seca, para salvaguardar o abastecimento público.

"Estamos com um nível baixo [de armazenamento de água] e fizemos um programa de contenção da rega de modo a assegurar, com toda a tranquilidade, o consumo público", disse hoje à agência Lusa o presidente da associação de beneficiários, Luís Bulhão Martins.

Segundo o responsável, o plano para racionar o consumo de água para fins agrícolas "é o programa possível de cumprir sem causar demasiados prejuízos aos agricultores".

Por outro lado, assinalou que, nesta altura do ano, "muitas culturas entram em fase de colheita e os volumes armazenados na albufeira da Vigia deixam de ter uma tensão tão grande, uma vez que os consumos de água para rega vão diminuir".

Bulhão Martins notou que a existência, desde 2015, da ligação do Alqueva à albufeira da Vigia "salvaguarda de certo modo a situação", considerando, ainda assim, que a ligação disponibiliza "volumes e caldais pequenos".

O presidente da Associação de Beneficiários da Obra da Vigia disse ser cedo para falar sobre as culturas de outono/inverno, lembrando que na zona existem culturas permanentes, como olival, vinhas e pomares, que "precisam de regas de sobrevivência".

"Os primeiros consumos que se possam fazer vão ser alocados a estas culturas e, enquanto não houver reforço das capacidades de água armazenada, vamos dizer que não é possível fazer cultura anuais regadas", afirmou.

O responsável previu que a falta de água provoque prejuízos "bastante grandes" e "problemas graves" aos cerca de 100 agricultores da zona.

Também em declarações à Lusa, o presidente da Câmara de Redondo, António Recto, indicou que a Vigia, que tem capacidade para 16,5 milhões de metros cúbicos de água, possui atualmente "entre dois a três milhões", sendo que "um milhão é o nível morto".

"É uma enorme preocupação tendo em conta a escassez de água" e o facto de a previsão do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) apontar para "precipitação bastante reduzida até finais de outubro", assinalou.

O autarca adiantou que o nível de armazenamento de água na albufeira da Vigia "está a ter um acompanhamento diário" por várias entidades para que "seja garantido o abastecimento público".

"Estamos convencidos que, com esta redução do consumo no regadio, seremos capazes de ultrapassar esta dificuldade", afirmou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon