Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

REFORMULADA: Autárquicas: Ana Catarina Mendes diz que maior descida da dívida em 19 anos se deve ao PS

Logótipo de O Jogo O Jogo 18/09/2017 Administrator

(Reformula o título e o primeiro parágrafo atribuindo ao ministro das Finanças a antecipação da descida da dívida.)

A secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, disse hoje que a maior descida da dívida pública de Portugal em 19 anos, antecipada pelo ministro das Finanças, se deve ao trabalho do PS.

"Portugal vai ter a maior redução dos últimos 19 anos da dívida anual. Isto é obra do PS, e nós socialistas temos de estar orgulhosos", declarou a socialista, falando num comício em Almada, onde o PS avança nas autárquicas de 01 de outubro com a candidatura de Inês de Medeiros.

Numa entrevista à RTP no domingo, o ministro das Finanças, Mário Centeno, anunciou: "No final do ano vamos ter a maior redução em 19 anos da dívida pública em percentagem do PIB", salientou, especificando que a meta esperada pelo executivo são 127,7 mil milhões de euros (contra 130,6 mil milhões de euros no final de 2016).

Segundo Mário Centeno, "o saldo primário [resultado das contas públicas excluindo os juros] positivo é o maior fator de confiança" que o Governo pode ter em como este objetivo vai ser alcançado.

No domingo, em Trancoso, o primeiro-ministro e líder do PS, António Costa, havia declarado que Portugal vai começar a reduzir a sua dívida pública "a partir de outubro", indicador que, aliado à descida do défice, sustenta o caminho de recuperação económica do país.

O fim de semana, disse Ana Catarina Mendes, trouxe aos portugueses, "para infelicidade da direita e do doutor Passos Coelho", boas notícias, com o "virar da página do 'lixo'", numa referência da socialista à melhoria da avaliação da agência de notação financeira Standard & Poor's da dívida portuguesa.

A secretária-geral adjunta do PS disse entender que o líder do PSD "queira reivindicar 'vitoriazinhas'", mas, para o PS, indicadores como o crescimento da economia ou a subida de emprego "significam acima de tudo" que o partido "está aqui a honrar as promessas que fez nas eleições legislativas".

"O PS está aqui para dizer que se candidata a todas as freguesias, a todos os concelhos deste país, com projetos, bons protagonistas, e para uma grande vitória no próximo dia 01 de outubro. O país precisa, as terras precisam do PS e dos seus protagonistas", enfatizou a 'número dois' socialista.

Em Almada, bastião comunista, o PS quer "acabar com o imobilismo", prosseguiu ainda Ana Catarina Mendes, que se mostrou confiante na vitória da candidata socialista Inês de Medeiros, que apresentou hoje o seu programa eleitoral aos locais.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon