Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

REPORTAGEM: Angola/Eleições: Eleitores no centro de Luanda elogiam forma organizada do voto

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/08/2017 Administrator

O processo de votação na assembleia de voto 1.030, localizada na fronteira entre o distrito da Ingombota e da Maianga, centro de Luanda, arrancou na hora prevista e decorre de forma "tranquila e expedita".

Exatamente às 07:00, hora prevista para o arranque do processo, já se encontravam naquela assembleia de voto, com 1.193 eleitores inscritos, dezenas de cidadãos ávidos de votar, como Francisco João Lopes.

Nas eleições de 2012, devido a problemas de saúde, não votou, mas registadas relativas melhorias, não perdeu a oportunidade de votar este ano.

"Foi muito rápido (o processo de votação), gostei e preferi votar nas primeiras horas, para ir mais cedo para casa e descansar. Em 2012 não votei porque caí de trombose, mas nestas eleições já consegui votar", realçou Francisco João Lopes, visivelmente satisfeito.

Também Domingas Vicente, residente do distrito urbano da Maianga, escolheu o período da manhã para votar, para ter tempo para outros afazeres.

Para si, marca positiva e incentivo para o exercício do voto, foi a forma tranquila como decorreu a campanha eleitoral.

"O processo decorreu de forma normal, muito diferente das eleições anteriores. Nota-se mais maturidade por parte de alguns partidos, mas em outros ainda não", opinou.

Domingas Vicente chegou às 07:00 e meia hora depois tinha já votado, o que na sua opinião demonstra "organização".

A assembleia de voto 1.030 está composta por três mesas de voto, com cinco agentes eleitorais em cada uma, que trabalham sob a observação de delegados de lista do MPLA, UNITA, CASA-CE e FNLA.

Por sua vez, Emanuel Fernando de Sá, diz ter saído com sentimento de dever cumprido e conta ter escolhido fazê-lo cedo por morar longe.

Relativamente ao processo, classificou-o como "maravilhoso", considerando que, "independentemente das críticas", todo o sistema, até hoje, dia do escrutínio, decorreu de forma organizada.

Angola realiza hoje as suas quartas eleições, às quais concorrem o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE), Partido de Renovação Social (PRS), Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA) e Aliança Patriótica Nacional (APN).

A Comissão Nacional Eleitoral de Angola constituiu 12.512 assembleias de voto, que incluem 25.873 mesas de voto, algumas a serem instaladas em escolas e em tendas por todo o país, com o escrutínio centralizado nas capitais de província e em Luanda, estando 9.317.294 eleitores em condições de votar.

A Constituição angolana aprovada em 2010 prevê a realização de eleições gerais a cada cinco anos, elegendo 130 deputados pelo círculo nacional e mais cinco deputados pelos círculos eleitorais de cada uma das 18 províncias do país (total de 90).

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon