Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Representantes dos trabalhadores da EMEF pedem "reunião urgente" ao Governo

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/09/2017 Administrator

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTSF) e a Comissão de Trabalhadores da EMEF solicitaram hoje ao Ministério do Planeamento e das Infraestruturas uma audição para solicitar o desbloqueio da contratação de trabalhadores na empresa do grupo CP.

Uma delegação de representantes dos trabalhadores da EMEF -- Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário entregou uma carta no Ministério do Planeamento onde requerem "uma audiência com a máxima urgência possível" e exigem "o desbloqueio da contratação de trabalhadores para colmatar as saídas, nomeadamente algumas que foram preenchidas por trabalhadores temporários", avançou à Lusa José Lobato, dirigente do SNTSF.

A EMEF "tem falta de trabalhadores" para realizar os trabalhos de manutenção ferroviária, advertiu o sindicalista, defendendo que "os trabalhadores com vínculos precários que foram despedidos da empresa devem ser readmitidos, pois já têm 'know how' [experiência]".

O dirigente sindical defendeu ainda que se deve por termo à precariedade na EMEF.

Na carta hoje entregue, os dirigentes sindicais mostram-se apreensivos com a situação da empresa do grupo CP - Comboios de Portugal e exigem "uma clarificação" sobre a reestruturação da EMEF.

"É preciso que a situação de restruturação da EMEF seja clarificada", disse José Lobato, adiantando que as estruturas sindicais defendem "a reintegração total de todas as áreas da EMEF na CP".

Segundo o sindicalista, a EMEF é "uma empresa que emprega 1.073 trabalhadores e é estratégica para a economia portuguesa, pois está num setor que é vital para o desenvolvimento económico".

José Lobato advertiu ainda para o facto de o futuro da EMEF "estar em causa".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon