Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Restam 14 jogadores para colocar ao FC Porto

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/07/2017 Alcides Freire

Cedência de Omar Govea ao Mosucron dá seguimento ao emagrecimento dos quadros. Aboubakar e Adrián López são os casos mais urgentes para as finanças da SAD

Omar Govea foi a 28.ª situação que o FC Porto resolveu neste mercado de transferências. O médio de 21 anos que nas duas últimas temporadas jogou na equipa B foi emprestado ao Mouscron, do primeiro escalão da Bélgica. O clube fica com opção de compra sobre o mexicano, que custou dois milhões de euros ao FC Porto.

Bolat © José Carmo Bolat

A folha salarial dos dragões continua a baixar (a poupança já é superior a 3,5 milhões de euros), mas há ainda alguns jogadores a colocar para que a SAD resolva, de uma vez por todas, os casos pendentes de ativos com que não conta.

O plantel principal trabalha com muitos jogadores que não vão continuar, mas isso são contas para se fazer quando chegarem alguns internacionais e os reforços que Sérgio Conceição pediu. Além disso, dependem da avaliação que o treinador está de momento a fazer .

À data de hoje, há 14 jogadores que sabem que não vão jogar de dragão ao peito e aguardam por definições. Zé Manuel e Leandro Silva podem seguir brevemente para a Bélgica. Diogo Verdasca e Graça, jovens que saltam da equipa B, não terão também dificuldade em conhecer o próximo destino. Mas há casos bem mais urgentes, como os de Aboubakar e Adrián López, pelo elevado salário que ambos auferem e que o FC Porto terá de pagar na íntegra até que algum clube os receba.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon