Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Ricardo Soares: "Saíram muitas notícias que afetaram a minha equipa"

Logótipo de O Jogo O Jogo 14/05/2017 Hugo Monteiro

Ricardo Soares, treinador do Chaves, comenta o empate com o Rio Ave e o percurso recente da equipa.

O Chaves empatou em casa a dois golos com o Rio Ave, na 33ª jornada do campeonato. "Defrontámos uma equipa muito bem trabalhada que faz da circulação de bola e posse o seu forte. Sabíamos disso e optámos por uma estratégia de contenção e saídas rápidas para o ataque, que funcionou em pleno, anulámos claramente o adversário no último terço defensivo, onde fomos muito fortes, não permitimos situações de finalização e podíamos ter matado o jogo várias vezes. Este jogo espelha um pouco o que tem sido o Chaves, que tem jogos controlados, a poder matar os jogos, mas por uma razão ou outra, por bola no poste por exemplo, saímos penalizados", comentou o treinador Ricardo Soares.

© Pedro Sarmento Costa/Lusa

"Não considero o resultado justo. Não falo em posse de bola. Falo em oportunidades de golo. Claro que em posse de bola, o Rio Ave teve muito mais bola que nós, mas em situações iminentes de golo o Desportivo foi muito mais forte que o Rio Ave", continuou o técnico, falando depois da meta dos 40 pontos.ç

"Espero que seja no próximo jogo e vamos acreditar até ao último segundo enquanto for possível. Recordo que quando viemos para cá, em conversa com o nosso presidente, Francisco Carvalho, ele tinha dito que se fizesse 34, 35 pontos era excelente, porque o importante era continuar na I Liga. Nós obviamente aceitámos o desafio que o clube já tinha e não saio satisfeito, pois 40 pontos era uma meta que estava ao alcance, tal como continua a estar, mas obviamente que estava à espera de fazer melhor. Também quero esclarecer algo, pois a massa adepta merece. Saiu em notícia que não continuo no Desportivo porque já tinha um compromisso com outro clube. Quero dizer que não é verdade, na altura quando decidi tomar esta decisão difícil [de não renovar] não era verdade. Saíram muitas noticias que afetaram o rendimento da minha equipa, é muito difícil motivar os jogadores a treinar nestas circunstancias. Não posso deixar de agradecer novamente este apoio fantástico da massa adepta, que guardarei para mim durante toda a minha vida, esta gratidão de gente tão humana, tão educada e tão hospitaleira", terminou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon