Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Rivais do conflito líbio de acordo sobre eleições na primavera após mediação da França

Logótipo de O Jogo O Jogo 25/07/2017 Administrator

O Presidente francês Emmanuel Macron anunciou hoje que os dois rivais do conflito na Líbia, Fayez al-Sarraj e Khalifa Haftar, chegaram a acordo para um cessar-fogo e eleições "na primavera", no decurso de um encontro em Paris.

"Um e outro assinaram um acordo para a realização de eleições na próxima primavera", afirmou o chefe de Estado francês em conferência de imprensa, após a reunião entre os dois "irmãos-inimigos" líbios.

O encontro, sob os auspícios do Presidente francês e a supervisão do novo representante especial do secretário-geral da ONU para a Líbia, o libanês Ghassan Salamé, culminou com uma declaração conjunta de dez pontos na qual ambos concordam na convocatória de eleição "o mais cedo possível".

A reunião, que decorreu na localidade de La Celle Saint-Cloud, arredores de Paris, pretendia contribuir para a estabilidade da Líbia, um Estado falhado e em guerra civil desde há seis anos, quando rebeldes apoiados pela NATO derrubaram o regime de Muammar Kadhafi, no poder desde 1969.

Fayez al-Sarraj, o líder do governo reconhecido internacionalmente, e o homem forte do leste, Khalifa Haftar, que domina cerca de 60% do território e importantes recursos petrolíferos, comprometeram-se a estabelecer um roteiro para restabelecer a ordem na Líbia.

A solução para a crise no país "apenas pode ser política", afirmam no texto, que reconhece a validade do Acordo de Sjirat (Marrocos), onde foi sugerida a formação, sem consenso, de um governo de unidade nacional.

Após a reunião, Al-Sarraj e Haftar compareceram na conferência de imprensa ao lado de Macron, que foi o único a usar da palavra para anunciar que o "processo eleitoral terá lugar na primavera".

Há duas semanas Al-Sarraj tinha anunciado a intenção do seu executivo em convocar eleições antecipadas em março de 2018, uma intenção que teve a oposição do chefe do parlamento de Tibruk (leste), a zona controlada por Haftar.

"O que está em jogo neste processo é imenso, para o povo líbio e para toda a região, e é essencial para toda a Europa, porque tem consequências diretas para os nossos países sobre os fluxos migratórios", disse Macron, que também agradeceu a "valentia" de Haftar e Al-Sarraj.

Os dois líderes, que disputam o controlo do país apoiados por milícias rivais, reuniram-se pela primeira vez em 02 de maio em Abu Dhabi, num encontro que finalizou sem um acordo entre as partes.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon