Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Ronaldo "é o mais temido e convencido" a chegar ao Brasil - revista

Logótipo de LusaLusa 21/05/2014 Nuno Vinha
Sven Hoppe/DPA © @ EPA / Sven Hoppe Sven Hoppe/DPA

Redação, 21 mai (Lusa) - O futebolista português Cristiano Ronaldo faz hoje a capa da revista brasileira Veja, que escreve que o avançado da seleção nacional "chega ao Brasil como o mais temido, mais triunfante e mais convencido dos craques das grandes seleções".

O artigo surge com o título "A marra do melhor do Mundo" e uma chamada de capa que evoca o misto de reações que Cristiano Ronaldo desperta nos adeptos e grande público, no Mundo e em Portugal: "Ame-o ou odeie-o".

"Diante de um montro, ora sagrado, ora profano, como Cristiano Ronaldo só existem duas reações possíveis. Admirá-lo desbragadamente, como fazem tantos amantes do futebol, admiradoras femininas ou fãs infantis. Ou assinar a rendição: mesmo rejeitando-o pelo estilo, arrogância e exibicionismo, admitir que é hoje o melhor jogador do Mundo, uma combinação única de habilidade, força e avassaladora vontade de vencer", escreve a Veja no parágrafo de arranque da peça.

Ao longo de 10 páginas, a revista brasileira recorda episódios e traços de caráter de Cristiano Ronaldo, narrados ou explicados por familiares, futebolistas que jogaram com ele, o olheiro do Sporting que o descobriu na Madeira, Aurélio Pereira, ou mesmo o cabeleireiro que lhe faz os penteados.

A Veja descreve que "a vaidade de Ronaldo foi tão precoce como o seu talento". O padrinho de batismo do "craque" português, Fernão Sousa, citado pela revista, dá força ao argumento: "Ele ia jogar com os cabelinhos alisados com sabão e com as botas engraxadinhas".

Mas todos confirmam que Cristiano Ronaldo trabalha mais do que lhe é exigido, para ser melhor e para manter a definição muscular do corpo.

O jogador brasileiro Kaká, que jogou com Ronaldo no Real Madrid, considera que o português "é uma máquina" - em comparação com o argentino Messi, que descreve como "um génio" - e salienta que Ronaldo "é o primeiro a chegar ao treino", fazendo trabalho de ginásio "trinta a 45 minutos antes de todos" os outros jogadores.

"Passa o dia treinando e, quando a maioria dos jogadores vai para casa, segue para a banheira de gelo. Como investe no corpo, sabe que a recuperação dos músculos é essencial para a manutenção da força", recorda do jogador brasileiro, que esteve no Real Madrid até ao início da época que agora terminou.

A revista recorda que Ronaldo leva a preservação do corpo ao extremo, referindo que o português comprou uma câmara de crioterapia de 35 mil euros. "Três vezes por semana, passa alguns minutos na câmara, submentendo-se a temperaturas até 120 graus negativos", para regenerar os músculos e diminuir as inflamações, lê-se no artigo.

A Veja também enumera as paixões de Ronaldo extra-futebol, as mulheres bonitas e os carros de luxo, uma consequência natural de "ser o jogador mais bonito, o mais bem pago e o detentor dos maiores contratos publicitários do mundo".

Uma imagem que contrasta com o seu país-natal, diz o historiador João Sedas, citado pela Veja: "Ele é o homem que os portugueses raramente conseguem ser: ótimo profissional e dono do próprio nariz. Contrasta com o traço comum de submissão deste país".

NVI // NF

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon