Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Ryszard Hoppe: "O primeiro objetivo está cumprido"

Logótipo de O Jogo O Jogo 15/07/2017 Hugo Monteiro

O treinador de Portugal de canoagem mostrou-se satisfeito com os resultados no Europeu de velocidade, que se disputa na Bulgária

Ryszard Hoppe revelou-se "muito satisfeito" por ter conseguido o pleno de três finais nos 200 metros, bem como colocar as três tripulações olímpicas femininas na final dos Europeus de velocidade.

"Nos 200 metros fazemos sempre boas provas. O K2, de Joana Vasconcelos e Francisca Laia, esteve muito bem e entrou direto. A Teresa Portela e o Hélder Silva também fizeram uma boa prova. Mais importante é que as raparigas conseguiram as finais nas três provas olímpicas", regozijou-se.

Em declarações à agência Lusa, Ryszard Hoppe falava do K1 200 metros de Teresa Portela, do K2 500 de Joana Vasconcelos e Teresa Portela e do K4 500 que junta ambas a Francisca Laia e Maria Cabrita, que foi nono na final em Plovdiv, na Bulgária.

"O primeiro objetivo está cumprido. No domingo creio que o K2 200 será o que tem mais hipóteses de lutar pelas medalhas", acrescentou.

Francisca Laia assumiu a "boa prova" do K2 que a levou com Joana Vasconcelos à final, considerando que, apesar de terem vencido a sua eliminatória, que ainda podem "melhorar mais um pouco no arranque".

Montemor-o-Velho 14/07/2016 - RYSZARD HOPPE seleccionador Nacional de Canoagem de origem polaca (Centro de Alto Rendimento de Montemor-o-Velho).(Amin Chaar / Global Imagens) © Amin Chaar Montemor-o-Velho 14/07/2016 - RYSZARD HOPPE seleccionador Nacional de Canoagem de origem polaca (Centro de Alto Rendimento de Montemor-o-Velho).(Amin Chaar / Global Imagens)

"O objetivo de estar na final está alcançado. Agora, sendo uma prova de 200, o resultado é muito imprevisível. Vamos dar o melhor de nós para tentar levar as cores de Portugal o mais longe possível", completou.

Teresa Portela cumpriu o "objetivo" de estar nas três finais, recordando o esforço de adaptação que teve de fazer a outras tantas tripulações.

"Três bons desafios. Apesar de termos sido nonas no K4, fizemos uma boa prova. Temos melhorado. Na final do K2 não sei que lugar podemos esperar, pois há muito que não compito nele. Em K1 ficaria feliz com uma classificação até ao sexto lugar", admitiu, desejando apenas não ser prejudicada pelo facto de fazer ambas as finais na pista nove.

Hélder Silva admitiu estar "à espera" de atingir a final de C1 200, prova que disputou no Rio2016, apesar de agora estar a trabalhar os 1.000 metros, a nova distância olímpica para Tóquio2020.

"Será difícil pensar nas medalhas, mas vou tentar. Quero é continuar a evoluir na C2 1.000 (com Nuno Silva) para ir a Tóquio2020. Nos anos anteriores ao Rio2016 ninguém pensava que me classificaria, mas tornei-me um dos melhores do mundo. Agora pode acontecer o mesmo. Confio no barco. Se não fosse assim, não estava aqui", concluiu.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon