Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

SAD do Vitória de Guimarães com lucro recorde

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/10/2017 Francisco Sebe
Francisco Príncipe, administrador financeiro do V. Guimarães. © DR Francisco Príncipe, administrador financeiro do V. Guimarães.

Alimentada pela performance desportiva da equipa, a SAD atingiu resultados operacionais de 4,7 milhões. E entre a época passada e a atual, o investimento no plantel foi de cerca de 13 milhões.

No ano de maiores vendas do Vitória, atingindo a fasquia dos seis milhões de euros, a SAD apresentou resultados operacionais de 4,7 milhões antes de amortizações, juros e impostos, o que resultou num lucro recorde de 2,8 milhões desde a criação da sociedade desportiva, em abril de 2013. Para Francisco Príncipe, administrador financeiro do Vitória, este resultado traduz "o momento robusto e consolidado da SAD e também o seu crescimento sustentado", em paralelo com as classificações que a equipa vem obtendo. Se em 2013/14 o resultado operacional foi de 800 mil euros, em 2014/15 passou para os 2,5 milhões e em 2015/16 desceu para 1,6, subindo até aos tais 4,7 milhões em 2016/17, consoante foi divulgado aos acionistas na assembleia geral realizada no último sábado.

citacaoExercício de 2016/17 teve os melhores resultados desde a criação da sociedade desportiva

O principal combustível para a SAD alcançar este resultado foi a performance desportiva, isto é, o quarto lugar alcançado na época passada, que permitiu atingir os seis milhões de euros em vendas de jogadores (35 por cento das receitas), depois dos quatro milhões em 2014/15 e cinco milhões em 2015/16. O valor foi conseguido com as transferências de Soares, Dalbert, João Pedro e Alex Pinto, sendo que as vendas de Bruno Gaspar, Josué e Zungu não estão refletidas no exercício financeiro de 2016/17. "É um lucro recorde da SAD, que permitiu pela primeira vez atingir um valor de balanço com um capital próprio acima de 50 por cento do capital social, um dado importante e que suporta a evidência da consolidação económico-financeira da sociedade", explicou Francisco Príncipe a O JOGO.

A última época desportiva do Vitória permitiu o aumento das receitas por via dos prémios das competições e, por outro lado, "alavancou toda a atividade de rendimentos do clube, desde associados, publicidade e merchandising", ainda segundo o responsável financeiro da SAD, que prevê manter "o padrão de crescimento no exercício financeiro de 2017/18" em relação aos anos anteriores. Da mesma forma, o investimento no plantel também tem registado um aumento gradual. "De 2015/16 para 2016/17, o investimento em passes de jogadores passou de um para quatro milhões de euros. E para este exercício corrente, já foram investidos cerca de oito milhões, entre aquisições, como Celis, Hurtado, Estupiñán e Rincón, e também reforço de passes de jogadores".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon