Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Seis ciclistas do WorldTour representam Portugal na prova 'rainha' dos Mundiais de Bergen

Logótipo de LusaLusa 11/09/2017 Ana Marques Gonçalves

Redação, 11 set (Lusa) - José Gonçalves, Nelson Oliveira, Ricardo Vilela, Rúben Guerreiro, Rui Costa e Tiago Machado são os ciclistas eleitos para representar Portugal na prova de fundo dos Mundiais de estrada, em Bergen, na Noruega, entre 17 e 24 de setembro.

Para defender as cores nacionais na principal prova dos Campeonatos do Mundo, o selecionador nacional de estrada, José Poeira, confiou em José Gonçalves e Tiago Machado (Katusha Alpecin), em Ricardo Vilela (Manzana Postobón), em Rúben Guerreiro (Trek-Segafredo) e em Nelson Oliveira (Movistar) e Rui Costa (UAE Team Emirates), que também vão competir no contrarrelógio individual, no dia 20 de setembro

A corrida de fundo, que encerra o programa do Campeonato do Mundo, terá 276,5 quilómetros, a percorrer num percurso essencialmente plano, com a principal dificuldade, que será ultrapassada 12 vezes (o mesmo número de voltas que serão dadas ao circuito de Bergen), a ser a subida de Salmon Hill, uma escalada com 1,5 quilómetros de extensão e uma inclinação média de 6,4%.

“Vai ser a eterna luta entre as seleções que pretendem endurecer a corrida para descartar os ‘sprinters’ e aquelas às quais interessa um ritmo moderado para que os homens mais rápidos possam estar na discussão da corrida. As dez seleções com nove elementos terão maior responsabilidade de gerir a corrida. Pela nossa parte, estaremos concentrados em manter todas as opções em aberto até final. Quando os percursos não são declaradamente para velocistas temos sempre a ambição de nos batermos por um lugar nos dez primeiros e, desta vez, não será exceção”, assumiu José Poeira, citado em comunicado da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC).

Sobre o ‘crono’ de 31 quilómetros, o selecionador nacional reconheceu que o percurso, que termina numa escalada de 3,4 quilómetros, com uma pendente média de inclinação de 9,1%, pode favorecer os corredores lusos.

NUNO VEIGA/LUSA © LUSA / NUNO VEIGA NUNO VEIGA/LUSA

“No entanto, por ser diferente de tudo aquilo a que estamos habituados será uma incógnita, obrigando a analisar bem o terreno para uma correta escolha de andamentos e para decidirmos uma eventual troca de bicicleta no início da subida final”, revelou.

Portugal também estará representado no contrarrelógio e na prova de fundo na categoria sub-23. O quarteto selecionado nesta categoria é composto por André Carvalho (Cipollini Iseo Serrature Rime), Francisco Campos (Miranda/Mortágua), Ivo Oliveira (Axeon Hagens Berman) e José Neves (Liberty Seguros/Carglass), com os quatro a disputarem os 191 quilómetros da prova de fundo, no dia 22, e Oliveira a competir nos 37,2 quilómetros de contrarrelógio individual, que não inclui a subida que marca o ‘crono’ de elite, no dia 18.

Os juniores, por sua vez, só vão alinhar nas corridas de fundo: no setor masculino, Afonso Silva (Sporting/Tavira/Formação Eng. Birto da Mana), Pedro José Lopes (Alcobaça CC/Crédito Agrícola) e Pedro Miguel Lopes (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact) entrarão em prova no dia 23, para cumprir 135,5 quilómetros, enquanto Maria Marins (Bairrada) será a representante lusa nos 76,4 quilómetros na vertente feminina, que se disputa no dia 22.

AMG // JP

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon