Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Selecionador dos Camarões agastado com atrasos devido ao trânsito

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/06/2017 Ana Proença

O selecionador dos Camarões de futebol, o belga Hugo Broos, queixou-se esta quarta-feira do trânsito em Moscovo e dos atrasos que fizeram com que a equipa apenas conseguisse jantar na terça-feira às 22:00 locais.

"O trânsito em Moscovo é um desastre", começou por dizer o selecionador hoje em conferência de imprensa em São Petersburgo, à qual chegou também atrasado devido a problemas de transporte na Taça das Confederações.

© EPA/SERGEI CHIRIKOV

A um dia de defrontar a Austrália, na segunda jornada do Grupo B, o selecionador dos Camarões mostrou-se agastado, revelando que na terça-feira, depois de ficarem presos no trânsito, só conseguiram chegar ao hotel e jantar tardiamente.

"Penso que a organização tem de rever os transportes das equipas dos hotéis para o estádio", indicou o técnico, que em fevereiro levou os Camarões ao título na Taça das Nações Africanas (CAN).

Em Moscovo, cidade do primeiro jogo, que a equipa perdeu com o Chile (2-0), os Camarões chegaram com uma hora de atraso ao estádio, com o selecionador a explicar que uma escolta de um carro de polícia foi insuficiente.

Os problemas com atrasos devido ao trânsito já afetaram três vezes a equipa, uma das quais com o autocarro de transporte a chegar com 45 minutos de atraso e a ficar preso no trânsito congestionado.

"Quando tempos de treinar a um determinado momento, temos um programa. Quando temos de jantar às dez da noite é realmente muito desagradável", reiterou Broos.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon