Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Seri recorda passagem pelo FC Porto e dá conselhos sobre o Mónaco

Logótipo de O Jogo O Jogo 24/09/2017 Hugo Monteiro

Médio do Nice entendia que não lhe servia de nada estar apenas a treinar e a jogar no FC Porto B.

Seri fez 19 jogos pela equipa B do FC Porto, em 2012/13, antes de sair para o Paços de Ferreira na temporada seguinte, mas é hoje um jogador muito cotado; no defeso, o Barcelona esteve quase para contratá-lo, mas à última hora a transferência não aconteceu. Não abordar o tema era única condição imposta pelo Nice para que O JOGO pudesse falar com o médio, uma entrevista que acabou a fazer-se pelo telefone e sob escuta - de auscultadores partilhados - do assessor de Imprensa do clube, porque Seri (lesionado) tinha abandonado o estádio logo a seguir ao apito final do jogo com o Angers. O médio explicou os motivos que o levaram a deixar o FC Porto.

"Quando resolvi sair, foi a pensar que precisava de jogar num clube onde estivesse mais exposto do que na equipa B. Sabia que não me servia de nada estar no grande FC Porto se não me vissem jogar e tentei sair. A primeira temporada no Paços de Ferreira não foi fácil, mas a segunda correu melhor; aprendi muito com o Paulo Fonseca, que me trabalhou bastante e me ensinou aquilo que eu precisava", explicou. Na curta passagem pelos azuis e brancos, só lamenta não ter tido espaço para se mostrar. "A filosofia do FC Porto nessa altura não passava pela aposta nos jovens da formação: tínhamos poucas hipóteses de chegar à equipa principal com o Vítor Pereira.

Com a chegada do Julen Lopetegui, as coisas mudaram um pouco, apostaram no Rúben Neves e as coisas correram bem. Gostava de ter tido a minha oportunidade, gostava de ter feito pelo menos uma pré-época com o plantel principal, para me mostrar melhor. O futebol é assim, não posso guardar rancor às pessoas por isso. Mas confesso que também não saí com a marca do FC Porto, porque não cheguei a ser uma aposta. Não fiquei marcado e, muito sinceramente, sinto que o mérito daquilo que consegui foi meu, do meu trabalho e do meu empenho", frisou. "Fiz uma boa segunda temporada no Paços de Ferreira, com o Paulo Fonseca, a certa altura percebi que o Nice me seguia e acabei por sair no final. Foi uma recompensa por tudo aquilo que fiz e pelas escolhas que fiz, porque se não tivesse arriscado, não estaria onde estou hoje", acrescentou.

© Sebastien Nogier/EPA

"Se não jogarem fechados vão expor-se e pode correr mal"

Seri avisou para os perigos de jogar de igual para igual com o Mónaco. "Será certamente um jogo interessante, porque as duas equipas jogam num sistema muito semelhante. Mas acredito que com o Mónaco seja sempre provável que haja golos, porque eles jogam muito ao ataque. Não sei como é que o FC Porto vai encarar o jogo, mas certamente que não o farão olhos nos olhos; devem jogar um pouco mais fechados, porque se não o fizerem, vão expor-se e pode correr mal", vincou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon