Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Serviços de Saúde Macau e Fundação Champalimaud cooperam na área da oncologia

Logótipo de O Jogo O Jogo 20/09/2017 Administrator

Os Serviços de Saúde de Macau vão colaborar com a Fundação Champalimaud, em Portugal, na área da oncologia, estando previstas visitas para intercâmbio científico, formação profissional e telemedicina, anunciou hoje o Governo de Macau.

Em comunicado, o gabinete do secretário para os Assuntos Sociais e Cultura informou que a cooperação está prevista num protocolo assinado na terça-feira entre os Serviços de Saúde de Macau e a Fundação Champalimaud.

"O protocolo permitirá aos Serviços de Saúde estreitar a cooperação em várias vertentes, como a organização de visitas para intercâmbio científico e práticas clínicas, formação de profissionais de saúde, recurso à telemedicina, organização de conferências médicas, apoio a projetos de investigação", entre outros, de acordo com um comunicado.

O secretário Alexis Tam esteve presente na assinatura, em Lisboa, tendo destacado que "o estágio, a formação de pessoal, a formação em cirurgia e radioterapia são áreas de especial interesse" no que toca a esta cooperação.

A intenção de celebrar este protocolo na área da investigação em oncologia já tinha sido anunciada no início de agosto, mas, na altura, não foi avançada uma data para a assinatura, que decorreu agora, na sequência da cimeira mundial "Alzheimer's Global Summit", daquela fundação.

Na segunda-feira, o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura de Macau encontrou-se com o secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, com quem discutiu temas relacionados com formação, administração hospitalar, serviços médicos, prevenção e controlo de doenças, entre outros, segundo o mesmo comunicado.

Os dois governantes acordaram a criação de três grupos de trabalho: um sobre o medicamento, outro sobre recursos humanos e um último sobre saúde pública.

Segundo o comunicado do Governo de Macau, no que toca aos recursos humanos, Manuel Delgado disse ser "do total interesse do Governo português promover uma estreita cooperação, tendo em vista a promoção da mobilidade de enfermeiros e médicos portugueses, que possam, por um lado, trabalhar em Macau, ou, ao abrigo de um protocolo de cooperação, ajudar na formação de médicos em Macau".

Atualmente, 59 profissionais portugueses trabalham para os Serviços de Saúde de Macau, incluindo 34 médicos e dez enfermeiros.

"A construção do novo hospital das ilhas e do Centro de Controlo das Doenças Infecto-contagiosas, assim como a presença de muitos portugueses justificam que se continue a recrutar profissionais de saúde altamente qualificados de Portugal", indicou o comunicado.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon