Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Seul quer estudar impacto da revisão de acordo comercial com Estados Unidos

Logótipo de O Jogo O Jogo 13/07/2017 Administrator

A Coreia do Sul aceitou hoje enviar um representante a Washington, para rever o tratado de comércio livre com os Estados Unidos, mas sublinhou a importância de uma análise prévia dos impactos económicos do acordo.

Seul "enviará um representante de alto nível aos Estados Unidos" para tratar de prazos e agendas, indicou em comunicado o Ministério do Comércio sul-coreano.

De acordo com o tratado, o comité de revisão deve reunir-se no prazo máximo de um mês, depois de um pedido de uma das partes signatárias.

O Governo sul-coreano considerou que antes de se realizarem as "possíveis emendas e modificações" sugeridas por Washington seria conveniente reunir funcionários dos dois países para que "estudem, analisem e aconselhem" sobre os diferentes impactos económicos do tratado, em vigor desde 2012, referiu a nota.

Numa carta ao Governo sul-coreano, o representante do gabinete de comércio externo dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, solicitou a ativação de um mecanismo para que as duas partes se reúnam em Washington para "considerar (...) possíveis emendas e modificações" ao tratado.

Lighthizer apontou como principais problemas para Washington "o acesso ao mercado coreano para as exportações norte-americanas" e o "significativo desequilíbrio comercial".

No ano passado, o défice comercial dos Estados Unidos em relação à Coreia foi de 27.700 milhões de dólares, quase o dobro dos 16.600 de 2012.

O Ministério do Comércio sul-coreano recordou que a convocatória do comité "não implica que ambas as partes tenham começado a renegociar" o acordo, já que Washington fala, na carta, de "emendas e modificações" e não de renegociar o tratado.

"A mesa de renegociação abre-se quando os dois países acordarem fazê-lo", concluiu o comunicado sul-coreano.

A proposta de Washington está em linha com as políticas protecionistas do Presidente Donald Trump.

Desde que Trump chegou, em janeiro, à Casa Branca, já retirou os Estados Unidos do Acordo Transpacífico (TPP), com outras 11 nações, e anunciou a renegociação do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (TLCAN), com o Canadá e o México.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon