Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Seul quer "reforma completa" das forças armadas perante ameaça norte-coreana

Logótipo de O Jogo O Jogo 09/08/2017 Administrator

O Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, instou hoje a uma "reforma completa" das forças armadas do país, considerando o reforço da defesa sul-coreana uma "tarefa urgente" perante os avanços da Coreia do Norte.

"Creio que poderemos necessitar de uma reforma completa, em vez de realizar apenas melhorias ou alterações", afirmou o chefe de Estado sul-coreano durante uma reunião com novos comandantes da Marinha, Força Aérea e Exército, disse um porta-voz do Ministério da Defesa sul-coreano.

"Um ato pendente para nós é a tarefa urgente de reforçar as nossas capacidades defensivas para travar as provocações realizadas pela Coreia do Norte com mísseis e armas nucleares", sublinhou Moon.

As palavras do Presidente da Coreia do Sul chegam horas depois de a Coreia do Norte ter ameaçado atacar com mísseis as bases norte-americanas na ilha de Guam, no Pacífico, como resposta ao envio de dois bombardeiros estratégicos para a península coreana e às advertências lançadas, na terça-feira, pelo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Trump advertiu o regime de Kim Jong-un que irá deparar-se com uma "fúria e fogo jamais vistos no mundo" se não deixar de ameaçar os Estados Unidos.

Pyongyang condenou duramente o mais recente pacote de sanções da ONU -- pelo qual considera Washington o máximo responsável -- e ameaçou realizar "ações físicas" contra os Estados Unidos.

Estas últimas sanções, que procuram reduzir as receitas das exportações norte-coreanas em mil milhões de dólares por ano (um terço do total), foram aplicadas em resposta aos lançamentos de mísseis balísticos intercontinentais por Pyongyang, com capacidade para alcançar solo norte-americano.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon