Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Simão: "Acredito que a Seleção ainda nos vai deixar mais felizes"

Logótipo de O Jogo O Jogo 24/03/2017 Hugo M. Monteiro

O antigo futebolista português abordou o embate da Seleção Nacional diante da Hungria

O ex-internacional português Simão Sabrosa espera um estádio cheio e acredita que Portugal vai vencer a Hungria, no sábado, em encontro de qualificação para o Mundial2018 de futebol, que se realiza no Estádio da Luz, em Lisboa.

© Fornecido por O jogo

"Espero que no sábado o estádio esteja cheio porque é importante sentir os portugueses, como sempre estiveram, do lado da seleção, e depois que Portugal possa ganhar", referiu o ex-jogador, elogiando não só os atuais jogadores como também o selecionador, Fernando Santos.

Para Simão esta "é uma seleção jovem, com um grande treinador, que passa a confiança aos jogadores, que sabe comunicar, que sabe tirar o melhor de cada um", lembrando o selecionador Fernando Santos "um grande amigo", depois de ter sido seu treinador no Benfica.

"É uma seleção que nos surpreendeu e nos deixou a todos muito felizes e acredito que ainda nos vai deixar mais felizes não só no jogo de sábado, mas durante muito tempo", acrescentou Simão, recordando que "esta seleção é a atual campeã da Europa".

Simão Sabrosa defrontou a Hungria por duas vezes ao serviço da equipa das 'quinas', com a curiosidade de a equipa portuguesa ter vencido os dois jogos por 3-0. E se no primeiro jogo, a 9 de outubro de 1999, no apuramento para o Euro2000, Simão não saiu do banco, no segundo, a 10 de outubro de 2009, no apuramento para o Mundial2010, teve uma participação decisiva, apontando dois golos.

"Lembro-me perfeitamente. Foi o primeiro e o terceiro [golos]. Era o apuramento para o Mundial da África do Sul e nós precisávamos de ganhar. O primeiro acho que foi o guarda-redes, num remate do Cristiano, que largou a bola e eu fiz o 1-0. O terceiro foi um cruzamento do Duda, do lado esquerdo, e eu finalizei com o pé direito", recordou, acrescentando que esse foi "um dos melhores jogos" que fez pela seleção nacional.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon