Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Sporting apresenta queixa do Benfica por apoio a claques ilegais

Logótipo de LusaLusa 14/04/2017 Vítor Rodrigues
ANTÓNIO COTRIM/LUSA © LUSA / ANTÓNIO COTRIM ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Lisboa, 14 abr (Lusa) - O Sporting apresentou uma participação disciplinar no Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol contra o Benfica, pedindo a interdição do estádio da Luz por apoio do clube a claques ilegais, revelou hoje fonte ligada ao processo.

De acordo com aquela fonte, o Sporting alega que o Regulamento de Competições prevê que nenhum clube, na qualidade de visitado, pode conceder benefícios - financeiros materiais ou outros - a grupos organizados de adeptos não legalizados.

Assim, e segundo ainda esta fonte, o Benfica, ao autorizar e facilitar a entrada para locais especificos do estádio, permitir que apresentem faixas, bandeiras gigantes bem como coreografias alusivas à claque, demonstra um público e notório apoio àzs claques No Name Boys e Diabos Vermelhos.

Na participação, os 'leões' terão ainda manifestado estranheza que nenhum delegado da Liga tenha reportado aqueles eventos nos relatórios de jogo, pelo que, segundo esta fonte, terá pedido a notificação de todos aqueles que, esta época, tenham estado presentes nos jogos oficiais disputados no estádio da Luz, con siderando que, nos termos do Regulamento Disciplinar, os delegados da Liga estão obrigados a cooperar e a testemunhar nos processos disciplinares quando para tal sejam arrolados e solicitados.

A fonte adianta ainda que o Sporting reiterou o pedido para que haja videovigilância nos setores afetos aos grupos de adeptos, que os responsáveis dos 'spotters' de Lisboa, nomeadamente aqueles responsáveis pelo acompanhamento dos adeptos do Benfica, sejam ouvidos e que os 'leões' anexaram à participação os processos que chegaram às suas mãos instaurados pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) relativos ao apoio a grupos de adeptos não legalizados e um proceso em que o IPDJ considera nulo o Regulamento de Segurança do estádio da Luz.

VR // VR

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon