Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Suíça-Itália e França-Rep. Checa nas meias-finais

Sportinveste 06/04/2014 Fonte: Sportinveste Multimédia
Suíça-Itália e França-Rep. Checa nas meias-finais © Sportinveste Multimédia Suíça-Itália e França-Rep. Checa nas meias-finais

Roger Federer conquistou hoje o ponto decisivo para a Suíça se apurar para as meias-finais da Taça Davis em ténis, ao vencer o cazaque Andrei Golubev por 7-6 (8-6), 6-2 e 6-3 no quinto e decisivo encontro dos quartos-de-final.
A Suíça, que entrou em desvantagem no último dia dos quartos de final, viu as suas estrelas garantirem os dois pontos necessários para marcar encontro com a Itália: primeiro Stanislas Wawrinka, número três mundial, bateu Mikhail Kukushkin (56.º), por 6-7 (4-7), 6-4, 6-4 e 6-4, depois foi Federer a fazer o 3-2.
Estava salva a honra suíça, depois de na sexta-feira Wawrinka ter entrado a perder e de no sábado o duo suíço ter sido derrotado pelos cazaques.
Foi a primeira vez que Federer, o recordista por excelência do circuito do ténis, jogou o quinto e último encontro de uma eliminatória da Taça Davis.
Com o 3-2, os helvéticos juntaram-se à Itália, que regressou às meias-finais depois de 16 anos de ausência, ao surpreender a Grã-Bretanha.
Nem a presença de Andy Murray foi suficiente para os britânicos contrariarem a garra dos italianos, que festejaram a conquista do terceiro ponto quando Andreas Seppi venceu James Ward, por 6-4, 6-3 e 6-4, no último encontro de singulares.
Apesar de a eliminatória ter sido decidida por Seppi, os quartos de final que opuseram as duas seleções foram uma luta entre os números uns de cada seleção, respetivamente Andy Murray e Fabio Fognini.
O 13.º tenista mundial bateu o primeiro britânico a vencer em Wimbledon em 77 anos por 6-3, 6-3 e 6-4, fez o 2-2 e colocou a Grã Bretanha mais longe de regressar às meias-finais, fase que não atinge há 33 anos.
A outra meia-final vai opor a República Checa, dupla campeã em título, e a França, que venceu a Alemanha por 3-2.
Gaël Monfils deu o ponto decisivo aos franceses com um triunfo frente a Peter Gojowczyk, por 6-1, 7-6 (7-0) e 6-2.
Depois de terem entrado a perder, com as derrotas de Julien Benneteau e Jo-Wilfried Tsonga, a França completou a reviravolta perfeita do marcador, um feito que atinge apenas pela quarta vez na história da Taça Davis.
Pela frente, na meia-final, os franceses terão a República Checa, que arrasou o Japão, com um triunfo por 5-0.
A pesada derrota frente aos poderosos checos levou, inclusive, o capitão japonês, Minoru Ueda, a pedir que a Federação Internacional de Ténis revisse o modelo da Taça Davis, transformando a competição num evento de dois em dois anos.

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon