Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Tailândia vai comprar parte do gás natural liquefeito de Moçambique

Logótipo de O Jogo O Jogo 27/09/2017 Administrator

A Autoridade de Petróleo da Tailândia vai comprar parte do gás natural liquefeito de Moçambique extraído pelo consórcio liderado pela companhia norte-americana Anadarko, anunciou a empresa.

A PTT (sigla inglesa para Petroleum Authority of Thailand) assinou um acordo para comprar 2,6 milhões de toneladas por ano da Área 1 de concessão da bacia do Rovuma, norte do país, anunciou Piyasvasti Amranand, diretor executivo da PTT, citado pela edição eletrónica de segunda-feira do jornal Bangkok Post.

Os acionistas da concessão, que incluem uma subsidiária da PTT, devem tomar uma decisão final de investimento até ao fim do ano para início da extração de gás natural entre 2022 e 2023, acrescentou.

A companhia texana Anadarko dirige o projeto da Área 1 da Bacia do Rovuma onde foram descobertos 75 biliões de pés cúbicos de gás natural.

A empresa fechou, em junho, os acordos com o Governo de Moçambique que lhe permitirão projetar, construir e operar as instalações para o projeto de produção de gás natural liquefeito.

O gás será extraído do subsolo oceânico e conduzido para uma unidade industrial de liquefação, em terra, situada em Palma, província de Cabo Delgado (norte), que injetará o combustível em cargueiros marítimos.

O empreendimento terá uma capacidade de produção de 12 milhões de toneladas por ano.

As petrolíferas Eni e Exxon Mobil dirigem um outro projeto de extração e liquefação de gás natural numa plataforma flutuante na Área 4, também na bacia do Rovuma.

A decisão final de investimento na área 4 foi anunciada a 01 de junho.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon