Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Talisca pede o dobro do atual salário e não aparece no Besiktas

Logótipo de O Jogo O Jogo 06/07/2017 Alcides Freire

Emprestado pelo Benfica ao Besiktas, Talisca continua de férias, enquanto os turcos já trabalham

Talisca ainda não se apresentou ao trabalho no Besiktas, algo que está a deixar os responsáveis do campeão turco, que já formalizou a extensão do empréstimo por mais uma época, em estado de alerta. Revelando que o médio-ofensivo alegou razões de saúde da sua mãe para adiar a viagem para Istambul, onde a equipa já deu início à pré-época desde o último sábado, Fikret Orman, presidente do Besiktas, avisa, ainda assim, o futebolista de 23 anos: "Não pôde vir porque a sua mãe está doente. Mas se houver algo mais, vamos atuar de acordo com o que está no contrato. Não é nosso jogador, mas está emprestado e tem contrato."

Talisca © Fornecido por O jogo Talisca

"Talisca é um jogador do qual gostamos, mas somos uma instituição séria e há molduras penais. Aqui não há nenhum jogador acima do Besiktas; o Besiktas é que é a grande estrela", sublinhou ontem Orman em declarações à Imprensa turca, em resposta à ausência do atleta, que aguarda também por desenvolvimentos relativamente a uma possível transferência (ver caixa), mas também às exigências de um aumento salarial. Apesar de até ter prevista, ao que O JOGO apurou, uma revisão em alta do ordenado de Talisca, a Direção do emblema de Istambul ficou chocada com as pretensões do atleta, que terá pedido para dobrar o seu vencimento, de 1,5 milhões de euros para três milhões por ano. "Se decidirmos aumentar o seu salário, será apenas como um gesto da nossa parte. Será a Direção a decidir e não Talisca a dizer-nos o que fazer", disparou Orman.

citacaoAinda sem se apresentar, brasileiro corre o risco de ser multado pelo campeão turco, que recusa ainda ser obrigado a subir-lhe o salário

Depois de já ter realçado por diversas vezes a difícil situação financeira do clube, o dirigente frisou ontem estar a negociar novos patrocínios, de forma a poder contratar estrelas - como Pepe, apresentado precisamente ontem -, mas realçou que o Besiktas está numa fase de "aumentos periódicos". "Os contratos aplicam-se a todos os que estão no clube. Não quero pressionar o clube, até porque se o desempenho de um jogador piorar, não podemos depois dizer que não aceitamos pagar", disse.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon